sábado, 25 de novembro de 2017

A hipocrisia de Bentinho

Li Dom Casmurro há uns 10 anos, e lembro que fiquei mais preocupado com as angústias do “casmurrão” Bentinho e acreditei firmemente que Capitu não havia lhe traído. Voltei a ler agora, e acredito sim que Capitu o traiu.

Mas tem algumas coisas que me incomodam:

Seu rancor a Ezequiel, que o amava como pai, mesmo considerando ser filho de Escobar;

A hipocrisia de ter falado em um trecho que havia traído Capitu algumas vezes;

O drama em tentar tirar a vida por causa da traição;

E o pior de todos: Abrir mão do amor de uma vida toda por causa de uma traição. Trair não é digno, mas acredito que isso seja válido em relacionamentos comuns. Mas já em um amor que nasceu junto com seu ser, assim como Bentinho e Capitu,  que antes de falarem uma palavra, já se amavam. Abrir mão disso, que é quase um sentimento divino por causa de uma traição vale mesmo a pena? 

Um comentário:

Helena Rodrigues disse...

É difícil perdoar as faltas, mas ainda assim, talvez seja a melhor solução.

Beijos!
Blog: *** Caos ***