domingo, 20 de agosto de 2017

Os Miseráveis - Simplesmente o melhor romance

 “Os Miseráveis”, obra do francês Victor Hugo traz exatamente tudo que um bom livro precisa. Extremamente amarrado, emocionante e cheio de reviravoltas. Mexe com todos os sentidos. Amor impossível entre Marius e Cosette; os erros que arrastaram a vida de Valjean; o amor pela profissão de Javert. E tudo isso contado em um contexto histórico pós-revolução francesa.

É um livro que coloca qualquer outro romance no chinelo. E se você é preguiçoso, tem o musical estrelado pela impecável Anne Hathaway, Hugh Jackman e Russel Crowe, que é muito bom e ganhou “só” três óscares em 2013.

Não perca seu tempo com romances mamão com açúcar. Leia esse livro ou assista o filme. Se for ruim, pode me cobrar. 


Abra a mente um pouco mais!





quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Ajuda?

Ontem, comprei um Minister ESTOURA PULMÃO, aquele do filtro vermelho. Fumei uns três e pensei: “Rapaz, esse negócio vai me matar mais rápido que os outros cigarros”. Estava saindo da melhor, após comprar um cigarro menos assassino e fui abordado por um mendigo:

- Amigo, pode me dar um cigarro? Hoje tá frio...

Enquanto fumava um Lucky Strike, peguei o maço de Minister assassino e dei para ele. Ele sorriu e disse:

- Você é um menino de coração bom. Fica com Deus.

Acho que não fiz o certo. Só acho.


Leia também!



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Carma de Valjean

“- Jean Valjean!

Os cabelos se arrepiaram, como se ouvisse uma voz vinda do túmulo.


- Sim, destrua tudo! Esqueça o bispo. Deixe o homem ser condenado. Continue a ser prefeito, enriqueça a cidade, alimente os pobres, viva feliz. Mas, enquanto estiver sendo admirado pela sua virtude, haverá alguém sendo chamado pelo seu nome, na prisão, com a corrente que você deveria carregar nos pés!”


Victor Hugo
Livro: Os Miseráveis


Leia também!



quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Sorriso amargo

Chega um momento na vida que você tem a certeza que as pessoas não se importam com as outras. É um pouco broxante viver em um mundo totalmente individual e sem consideração com o que você é.

As pessoas são decepcionantes. Cada uma que você vai além das conversas superficiais, você percebe que é igual a grande maioria. Infelizmente, a grande maioria das pessoas não são lá tão agradáveis.

É triste. Mas talvez seja a grande chance de fazer diferença. Se abater por causa da reação dos outros não é a melhor maneira de encarar a vida. Pelo contrário, assim como disse Rocky Balboa, importa o quanto você aguenta apanhar. E sempre que apanhar, você deve levantar com o sorriso no rosto, independente de tudo.

Sorriso amargo. Mas o que importa é o que as pessoas veem em você, e não o que você sente. Porque ninguém se importa.  Essa é verdade, goste você ou não.


Continue abrindo a mente!



Nostalgia do primeiro emprego

Por quase dois anos subi essas escadarias para encarar mais um dia de trabalho. É uma mescla de saudade dos amigos conquistados com um choque de realidade: já faz oito anos e parece que foi ontem que comecei a trabalhar.



Leia também!