sábado, 29 de abril de 2017

O melhor para depois

Quando era moleque, pensei em uma estratégia para comer bolacha recheada. Passei a tirar todo o recheio, guardava na geladeira e comia um tempo depois. Era gostoso pra caramba, até que um dia, meu irmão descobriu meu plano e comeu uma, duas, três vezes o recheio. No final, eu tirei toda a parte gostosa e fiquei apenas com o lado sem graça da bolacha.

Aprendi que não dá para deixar o melhor para depois, porque esse depois pode nunca chegar. Mas o foda é que tem hora que a vida parece mais uma bolacha de água e sal, sem nenhum chazinho para ajudar a descer.


Você pode gostar!



Nenhum comentário: