sexta-feira, 21 de abril de 2017

Onde você encontra a paz?



Veja também!

Maldita Sorte

Você não passa de um grande filho da puta

Código de Conduta

Maldita Sorte

Já assistiu esse filme? Basicamente, um bonitão transa com uma garota, e a próxima pessoa que ela conhece, se torna o amor da sua vida. Agora vou falar um pouco sobre a minha maldita sorte, ou quem sabe, a prova que eu nunca passei de um maldito estepe.

Meu namoro mais duradouro, a menina tinha um trauma com o ex: ele estava namorando duas pessoas ao mesmo. Namoramos dois longos anos. Menos de um mês depois que terminamos, ela já estava namorando novamente, e dois meses depois, PASMEM, estava noiva.

Outro rolo tinha problema com o ex. Basicamente ela o odiava, ele tinha falado para os pais que tinha feito um aborto enquanto estava comigo. O relacionamento foi um inferno. Me chutou e voltou para ele.

E o último fato você sabe melhor que ninguém o que houve. Servi apenas para ferver uma água morna. Conversava com um amigo ontem, e cheguei a conclusão que as mulheres são decepcionantes, principalmente as que beberam do pote da liberdade. Imagine namorar alguém tão grudento como eu? Hahaha. Qual é, não existe isso.

O foda é que às vezes me sinto bem, no trabalho, fazendo exercícios e principalmente meditando. Mas percebo que não estou bem por causa de como andam os meus contatos com pessoas do outro sexo.

- Hoje acho que não vai dar para sair. Não tô muito afim.

- Ah, foda-se, você é mó sem sal. Não tem argumentos em relação a nada e fica reclamando de coisas nada a ver.  Aff, como você é sem graça. Tenho vontade de enfiar uma meia na minha boca quando estou com você.

Outro dia, fiquei com uma menina, um amigo me disse que ela perguntou a ele se eu sempre era um pé no saco. Tava curtindo o som, ela me abraçou e veio me beijar:

- Ow, saí daqui, mano. Eu te acho insuportável e muito pé no saco.

Ela me olhou muito puta. Foi engraçado.  Na Terça passada, vi uma menina que eu  já fiquei várias vezes. Nos vimos no estacionamento da faculdade, no carro dela. Começamos a nos beijar, e esse foi o pior. Senti um negócio estranho, comecei a lembrar beijos que não queria lembrar, tirei a mão do peito, coloquei a camisa e fui embora, sem dizer nada.

É, a maldita sorte é mais maldita do que sorte, infelizmente.


Veja também!

Você não passa de um grande filho da puta

Código de Conduta

Você vai, né?

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Você não passa de um grande filho da puta

- Você não passa de um grande filho da puta.

Foi isso que ouvi depois de uma surpresinha. Dois dias atrás, cheguei do trabalho cansado e vi o carro do meu irmão que não via há muito tempo.  Não tinha ninguém em casa, ele me cumprimentou e entramos.

- Cara, sabe o que eu tô com vontade?  De jogar Super Nintendo – ele disse, enquanto eu abria a porta da cozinha.

A ideia foi bacana, abrimos aquela caixa empoeirada e limpamos fita a fita, além dos controles. Começamos jogando Mortal Kombat, passamos por Top Gear, Donkey Kong, Super Mario World e até que tivemos a genial ideia: ganhar uma Copa do Mundo no Superstar Soccer com Alejo, Pardilla e companhia. Vagamente, eu lembrava que tinha alguma coisa para fazer naquela Sexta-Feira, mas logo aquilo passou batido.

Jogamos para caralho, eu fazia tanto gol, até de carretilha. E quando chegamos à final, aquele arrombado perdeu para a Itália de 2 a 0, dois gols do Carboni. Fiquei puto. Mas passou. Depois disso,  sentamos na varanda, acendi um cigarro e lhe ofereci um. Ele balançou a cabeça e disse:

- Tenho algo melhor.

Buscou no carro dois charutos e um whisky Black Label, sacou um isqueiro de filme de faroeste e acendeu o meu e o dele. Começamos a lembrar de quando jogávamos em um time amador e aquele dia que eu apanhei no vestiário, além daquela noite nada legal em que fomos ameaçados por causa de uma menina, que aquele retardado tinha pegado muito tempo atrás.

Foi uma noite incrível. Perdi a noção do tempo.

No outro dia, acordei umas 15h, vi que a bateria do celular estava descarregada, coloquei para carregar e tomei um banho. Liguei o celular e tinha umas 50 mensagens. Liguei para a Geovana:

- O que foi?

- O que aconteceu ontem? – respondeu seca.

- Ah, meu irmão veio em casa e perdemos a noção do tempo. Jogamos vídeo-game, conversamos, foi...

- Mano, você tá tirando? – me interrompeu. – Ontem foi o aniversário do meu pai, porra!

Sabia que tava esquecendo de alguma coisa, mas sinceramente, aquele momento com meu irmão foi tão bacana, que nada iria substituir aquilo. Mas é claro que não respondi isso:

- Poxa amor, sinto muito. Eu... eu realmente esqueci. Me perdoa.

Ela desligou o celular. Vi que estava chegando a hora de um jogo, e eu tava muito afim de jogar bola. Peguei a moto e parti. Foi incrível, fiz dois gols e me senti o rei da porra toda.

Chegando em casa, peguei o celular e liguei para ela, continuava puta e não queria me ver. Tudo bem, assisti alguns filmes e dormi. No outro dia, acordei lá pelas 8h, não sei porque acordei tão cedo em um domingo. A primeira coisa que fiz foi ligar para Geovana:

- Estive pensando. Fiquei muito chateado com o que aconteceu. Precisamos conversar e muito sério.

Voltei a dormir.

Ouvi um barulho na porta:

- João, a Geovana quer falar com você – minha mãe disse.

Levantei e ela tava na sala, sorri e disse:

- Oi amorzinho.

- Meu, você tá bem? – ela tinha um rosto desesperada, parecia aflita.

- Tô bem e você meu anjo?

- Fala logo o que você quer – a voz dela quase não saiu, uma mescla de choro e decepção, talvez arrependimento.

- Não é nada. Olha o calendário.

Ela foi até a estante, puxou o calendário, seu olhar era endiabrado. Correu na minha direção, senti uma dor do caralho, ela tinha dado um murro no meu nariz. Subiu em cima de mim e começou a me socar, isso porque tinha feito balé a vida inteira, eu imagino se tivesse sido boxe. Era primeiro de Abril.

- Você não passa de um grande filho da puta! É FILHO DA PUTA! – não parava de bater.

Senti meu nariz escorrendo sangue, ela se levantou, seu olhar de raiva virou de preocupação, abaixou, estendeu as mãos e disse:

- Vem tomar banho.

Doeu? Doeu muito. Mas foi divertido.


Veja também!




terça-feira, 18 de abril de 2017

Código de Conduta

Anéis de código de conduta. O primeiro e mais importante: tratar bem todos que por sua vida passar; Segundo: sempre perseguir seus sonhos.

Quando no pescoço pesar, se lembrar dessa simbologia.



Veja também!



segunda-feira, 17 de abril de 2017

Você vai, né?

- Espero de coração que você vá ao meu casamento.

Essas palavras eu ouvi ao chegar do trampo. Cansado depois de um dia movimentado no trabalho, estava me trocando, ouvi o telefone fixo, atendi e ouvi um:

- É da casa do Rodrigo Moreira? – pensei: “Porra, banco de novo enchendo o saco?”.

- Sim, está falando com ele.

- Ro... – teve uma pausa – drigo. Sou eu a Manu.

Fiquei pasmo. Sem reação:

- Manu? Porra, há quanto tempo...

- Sim, é verdade, vou me mudar de casa e comecei a arrumar as coisas. Nela achei o seu Rakani que me deu. Pedi seu número para um conhecido, tentei ligar várias vezes e não consegui, então encontrei na lista telefônica o número da sua casa.

Rakani era um amuleto que dei pra ela há uns 9 ou 10 anos. Quando eu era criança, terminei uma história em quadrinhos. Enviei para uma editora e o resultado não foi muito satisfatório. Recebi uma carta escrito algo do tipo:

“Agradecemos o contato e a força de vontade. Continue tentando, quem sabe um dia não publicamos.”

Joguei a carta e a história fora. Decidi nunca mais desenhar na vida.

- Vi no seu instagram que voltou a desenhar, e agora encontrei isso... Sabe, você era tão sonhador. Queria conversar com você, saber como você está, essas coisas.

- Ah Manu, tô bem, não sei se sabe, mas me formei e estou empregado, vi que você está noiva, né? Fico feliz por você. A vida anda de uma forma ou de outra.

- É verdade... Por tantas vezes eu senti sua falta. Lembro que quando meu pai faleceu, você me levava todos os dias para casa e ficava conversando horas e horas. Não tocava no assunto e sempre me fazia uma surpresa. Você não sabe como foi importante para mim.

- Que isso, você que foi uma menina forte... – resolvi não remoer esse assunto tão delicado - falando nesse símbolo, você ainda lembra o significado?

- Aff, é claro que eu lembro, parece que é besta. – Rakani era um amuleto do clã Jiribi. Todas as vezes que os guerreiros iam a guerra, entregavam um Rakani para sua esposa. E sempre que elas apertavam ele, sentiam a presença do amado.

- Fico feliz que ainda se lembra. Funcionou?

- Na verdade, não muito. – a sua voz continuava sonora e leve como uma música clássica. – Rô, vou ter que terminar a mudança. Sei lá, queria te ligar, a gente se afastou há tanto tempo, mas éramos tão próximos. Eu e meu noivo encontramos uma data para nosso casamento.

Minha voz não saiu. Manu é o amor da minha infância. O primeiro amor. Não sei se sinto algo por ela, mas esses dias estava tão abalado, que uma notícia desta em cima de outra pesada que recebi no dia anterior foi de me estraçalhar.

- Ca... ca... casar?

- Sim. E eu quero muito que você vá.

- Fico tão feliz por você. Você é uma boa pessoa. Vai ser feliz. – respondi.

- Você vai, né?

- Eu não sei, Manu. Realmente não sei.

- Vou te enviar o convite. Vou te esperar, tá? Preciso terminar a mudança. Só queria falar como você foi importante na minha vida.  Me fez muito bem.

Depois dessa ligação, é impossível não fazer essa pergunta: Quando alguém vai me fazer bem?


Veja também!



Não deixe os sentimentos explodir você

Você vira a outra face? Quando alguém te ataca ou tenta te colocar para baixo, você é bondoso? Será mesmo? Essas perguntas são complicadas, principalmente em um mundo competitivo como o nosso. Engolir sentimentos apenas para uma manutenção social não pode ser uma escolha sadia.

Imagine-se como um recipiente de emoções. Você vai acumulando uma atrás da outra. Com o tempo, você vai ficar louco ou vai se estressar ao extremo. Você deve manter a calma, e falar o que sente, mas de forma controlada. Claro, você não é um animal para matar uma pessoa porque ela não pagou a parte do aluguel.

Mas lembre-se que cada vez que você deixa de expor o que sente, aquele sentimento de rancor ou explosão fica acumulado em algum lugar. E pela regra da vida, se alguém lhe faz mal, é melhor esse alguém sentir o mal do que ficar com você.

A não ser que você goste de sofrer. Aí o problema é seu.


Veja também!



Mais um dia ou menos um?

Abotoando a camisa eu me pergunto: "vai ser menos um dia ou mais um?"



Veja também!



O fim? Não creio

Eu sabia que isso ia acabar acontecendo. De  alguma forma, eu previ. Minha intuição é muito forte para esse tipo de coisa. O que você não sabe, é que sempre fui um jogador nato. Não sou bom com todas as pessoas que me relaciono. Na verdade, evito relacionamentos há muito tempo.

Quando terminei meu namoro longo, fiquei dois anos sem me relacionar com ninguém. Nesse período, o que fiz foi jogar. Infelizmente ou felizmente, sabe deus. Depois do meu relacionamento mais conturbado e a primeira pessoa que deixei de jogar socialmente, acabei tendo problemas entre quatro paredes, que você sabe bem qual é.

O fato é: com você eu não joguei. Fui a melhor pessoa que eu poderia ser. De imediato, achei ótimo você ter passado por minha vida, porque você é uma pessoa fascinante, e não me importo em fazer o bem para quem vale a pena.

O problema é que você usou do artifício das meias verdades.  Usar uma pessoa para matar carência não é legal. Sério, isso machuca. Não guardo mágoas, mas fica um Q de ressentimento porque você disse muitas coisas que não precisavam ser ditas.

Aí o sentimento é paradoxal. Ao mesmo tempo que adorei estar ao seu lado, me senti usado como um copo descartável. Mas sei lá, talvez seja algo de momento, e vai passar logo.

Não te odeio, não tem como odiar. E nunca vou te julgar. Afinal, cada um sabe o que é bem para a sua vida. É uma pena que eu não posso ser esse bem. Primeiro,  acho muito estranho uma pessoa dizer que não sente nada pela pessoa x e voltar com essa pessoa. Segundo, pelo simples fato de pedir para eu esperar, e algumas semanas depois, simplesmente voltar com o ex.

Não é mágoa, é apenas uma análise. Apesar de ter sido legal passar esse tempo contigo, ser usado não é nada legal. E sério, eu tava tão de boa, e você forçou a barra. E isso não se faz.

Mas paciência, não vou ficar chateado contigo. Vou guardar sempre os momentos bons. Mas isso me faz refletir como as pessoas podem ser ruins, mesmo sendo tão boas como você é.

Então, é isso. Não tenho rancor algum de você. E nunca vou dizer nunca, até porque não sabemos o que vai acontecer daqui a uma hora, quem dirá daqui um mês ou ano. Mas fica a dica: não use as pessoas, isso é a pior coisa que você pode fazer.

E o que diferencia uma pessoa boa de uma ruim são os atos. E quando você se acostuma a fazer coisas ruins, aos poucos sua bondade é apagada. E você tem um brilho de uma Elfa, não faça isso com você.

No mais, seja feliz e se encontre. Você merece. E nunca vou te esquecer. E mesmo que eu seja totalmente incoerente ao finalizar o texto assim, vou finalizar. Quando disse que iria te esperar, não eram palavras vagas.

Mas não vou ficar remoendo nada. Se um dia você sentir vontade de falar comigo ou quem sabe tentar algo. Estarei te esperando. Só não sei onde e como. Mas como a minha intuição geralmente não falha, não acredito que a nossa história tenha terminado.

Você querendo ou não. Eu tenho uma intuição desgraçada. Talvez seja um defeito de fábrica, veio junto com a loucura e impulso e como meu amigo disse: “Você se encaixa em todos os quesitos bipolares que eu estudei em psicologia”.

No mais, a única coisa que posso afirmar. É que apesar de todos os pesares, eu te esperarei. Tipo aquela música do Luan Santana, 10, 20 30 anos, hahaha.

Fique bem, minha princesa. Quando disse que a amava, não era da boca para fora. Te amo de verdade.


Veja também!






domingo, 16 de abril de 2017

Outro Lugar - Terra Celta

E vai partir sem bilhete de volta
Melhor se apressar, o trem vai passar
Certeza não há, caminhos são tantos
Teu velho orgulhoso, tua mãe aos prantos!

Um All-Star no pé e uma mochila nas costas
O mundo me espera, não dá pra voltar
Se meu coração aqui não acha respostas
Eu vou procurar em outro lugar

As fotos do teu quarto que agora
Não fazem sentido, mas fazem história
De amores e amigos perdidos
Guardados pra sempre na sua memória (8



Veja também!




Meu lugar não é mais aqui

- Seu lugar não é aqui. Você já tentou de tudo para ser feliz, e nunca te vi em paz. Você precisa recomeçar, encontrar um novo lugar. Não digo que você precisa mudar. Você é uma pessoa boa para porra. Mas você não sabe como é triste ver alguém como você correndo na lama há tanto tempo. Você precisa ir embora.

Palavras de quem realmente me conhece, e alguns minutos antes tinha feito uma puta sacanagem. Ao voltar de um show na cidade de Tarabai, meu amigo mostrou uma foto de uma ex de outro amigo nosso e perguntou:

- Você pegaria?

- Nessa situação, não. E mais, nem a acho bonita, meu padrão são meninas mais magras... Tipo Emma Roberts e Anne Hathaway. – respondi.

- Vou te mostrar uma coisa então. – mexeu no celular e mostrou a foto da minha ex. Fiquei puto com aquilo. Achei que era desnecessário. Mas ver aquele lindo sorrisão e lembrar dos traços dela e como ela é linda, me deixou, além de tocado, pensativo. Ele pediu para dar uma volta no quarteirão de moto, fui no banheiro.

Observei meus olhos castanhos pulverizados, quase amarelos. Eles ficam assim quando estão incomodados ou apaixonados, ou pior: com ódio. Não sabia qual era a resposta para aquilo. Segurei meu novo colar com a simbologia, dois anéis, um com o significado de nunca desistir dos meus sonhos e o outro para sempre tratar as pessoas bem. Acho que esse é o meu código de conduta, e sempre que sentir o colar pesar, vou me lembrar dessas duas coisas.

- Só queria ser feliz ao lado dela. – respondi ao perguntar sobre se eu ainda pensava nela. Ele sabia que sim. Sabia que aquela situação me incomoda demais.

- Talvez ela tenha passado na sua vida por um momento. Ou vai voltar amanhã, você nunca vai saber. Mas o fato é, esquecendo esse lance de relacionamento. Você procura a paz nas outras pessoas, nunca procura  em você. Vai fazer isso até quando? Até sentir vontade de se matar? Sério isso?

Pensei por um momento. – Fazer bem para as outras pessoas me faz bem, cara.

- E quem tá te fazendo bem?

Um mar de lembranças me veio a mente. Na verdade, hoje tinha programado uma música da Terra Celta para postar no blog, e logo mais estará aqui também. Ela fala exatamente disso: “Se meu coração aqui não acha respostas, eu vou procurar em outro lugar”. E estava ouvindo ela incessantemente, talvez meu sonho seja me reconstruir e não dar pontapé inicial em nada. E para conseguir isso, eu preciso de dinheiro.

Sou talentoso. Preciso ser organizado. E sinto que meu lugar, infelizmente, não é mais aqui.


Veja também!



Vida feita pelo grafite

Se de grafite fôssemos feitos, poderíamos passar a borracha na memória?



Veja também!



sábado, 15 de abril de 2017

Brinque com fósforos

"Brinque com fósforos e você se queima."

- Pulp Fiction



#Rabiscando



Veja também!



Desconstruir é preciso

Chega um momento da nossa vida que a gente faz a pergunta: “O que eu fiz até agora?”. E fico me perguntando o motivo de deixar meus sonhos tanto tempo de lado. Pensando nisso,  resolvi dar um UP na minha vida.

Não é nem questão de ter terminado um relacionamento ou não. Isso sempre acontece. Mas estive pensando, me formei, tenho um bom emprego, mas é isso que eu quero da minha vida?

Meus projetos sempre ficaram de lado e fui empurrando a vida com a barriga. Mas cansei disso, quero controlar meu destino e desconstruir o que eu fui para me construir. Construir aquele alguém que eu sempre sonhei.

Adoro fazer o bem as pessoas. Mas não pretendo me dedicar mais a ninguém da forma que eu já me esforcei. Só quero me fazer bem e realizar meus sonhos. Não vou fechar nenhuma porta, mas em momento algum vou colocar um relacionamento frente do que eu quero para mim.

No final, nunca se sabe quando a pessoa vai embora da sua vida. Mas eu sei que eu  vou estar para sempre comigo. Quero me tornar uma pessoa que eu amo e mirar para o alto, de tal forma que eu perca o fôlego.

Não estava nada bem esses dias. Tive picos de ansiedade e agitação. Comum para uma pessoa instável, mas agora tá tudo ok e assim vai permanecer.

Oremos.


Veja também!




Como anda a sua leitura?



Terminei mais um livro do Bukowski, chamado Factótum, é muito bom, logo mais faço um post sobre. Mas estive pensando como a leitura foi importante na minha vida profissional e pessoal.  Meu primeiro livro, devorei aos 13 anos, foi Rei Arthur, em seguida li Os três Mosqueteiros, O Alquimista do Paulo Coelho e assim começou o vício, um vício pra lá de saudável.

Sabia que em algum lugar, tinha um caderno com a quantidade de livros que eu tinha lido até 2011. Encontrei, mas infelizmente não tem detalhado cada livro que li. Hoje tenho tantos livros espalhados pela minha estante (sei que tá uma zona) e difícil é encontrar um livro que aqui não li (Me orgulho disso <3).

Até o final de 2011, li 57 livros na vida. Lembro que conversava com uma garota sobre a quantidade de livros que tinha lido, acho que tinha falado entorno de 110 ou 120, mas descobri que estava enganado. Desde 2016 eu tenho uma tabela, e por acaso 2016 foi o livro que menos li na vida, apenas 14 livros no ano. Esse ano está uma verdadeira bosta também, contando apenas 4 até agora.

Em 2012, foi o ano da Veterinária, não tenho nada anotado, mas por minhas contas li entorno de 20 livros. 2013 foi talvez o ano que mais li na vida, tinha que ler 6 livros por semestre para o curso de Jornalismo, só para a faculdade li 12 e sempre segui a ideia de ler dois livros ao mesmo tempo, presumo que tenha sido 24 ou 25 livros, já que em dezembro costumo ler um pouco mais.

2014 eu tenho anotado, foram 17 livros e 2015 mais 15. Fazendo os cálculos por cima, li 152 livros na vida, talvez um pouco a mais, talvez um pouco a menos.  Já que estou nessa, penso em fazer uma lista do meu #TOP5, nessa escala coloco:


TOP 5 LIVROS QUE LI NA VIDA

1 – Mulheres – Bukowski
2 – Ele está de Volta – Timur Vermes
3 – O jogo: A Bíblia da Sedução – Neiul Strauss
4 – Veronika decide morrer – Paulo Coelho
5 – Um estudo em vermelho – Conan Doyle


#ATENÇÃO: PODE SER QUE CONTENHA SPOILER

Mulheres: O Buko está na lista por sua forma debochada de escrever. Fora que é interessante analisar como ele lida com a mulherada. No final, o livro fala mais dos seus problemas com o sexo feminino do que das mulheres em si. Mas vale a leitura, demais, demais.

Ele está de volta: se você viu o filme, sinceramente, você está perdendo a qualidade do livro. O filme segue uma ideia totalmente diferente da do livro. Mas imagine: Hitler de volta e vira youtuber, tentando trazer os ideais nazistas. O interessante dessa sátira é que ela levanta uma questão: Hitler foi um líder que levou a Alemanha ao extremismo ou a Alemanha era extremista e procurava um líder assim?

O Jogo: Rapaz, esse é pesado. Mas infelizmente, mostra como os relacionamento sociais são. Para quem conhece “O Jogo”, sabe que existem inúmeros especialistas que trabalham na arte de pegar mulher. Neiul se infiltrou no mundo obscuro dos jogos sociais e mostra como funciona os viciados nesse jogo. É triste, mas mostra que quando você é um cara que joga e segue ideais como “não dar atenção demais”, “se tornar atraente” e blá blá blá, você consegue conquistar as mulheres. É do subconsciente. Agora quando você é um cara legal, atencioso e tals, você sempre vai levar um pé na bunda (EXPERIÊNCIA PRÓPRIA: NÃO SEJA BONZINHO. NÃO SEJA!).

Veronika decide morrer: Você dá valor a sua vida? Essa é a principal dúvida levantada pelo meu queridinho Paulo Coelho.  Veronika tenta se matar e fica em um hospício esperando a morte. Aí ela descobre que a vida é muito importante para colocar um fim a ela. Enfim, a ideia é essa: “O que você faria se soubesse que tem uma doença terminal?”.

Um estudo em vermelho: Primeiro livro do detetive mais charmoso do mundo. Um Estudo em vermelho é detalhista, amarrado e incrível. Vale a leitura, principalmente quem gosta de um enredo misterioso e cheio de ação.


Tabela de leitura

Mais de 150 livros é o que poucas pessoas vão chegar na vida. Eu sei disso, mas também sei que para poder finalizar meu livro, preciso muito de INPUT, que é abstrair informações e cultura de qualidade para depois fazer o OUTPUT: escrever.

Enfim, para chegar nesse número, que eu considero um bom número, utilizo a técnica de tabela de leitura. Basicamente, consiste em você anotar o nome do livro, quantidade de páginas e autor e quantificar isso por meses, anos, etc. De imediato, pode parecer robotizado fazer isso, mas qual é, é apenas uma forma de saber como está seu rendimento na leitura.


MÊS
LIVROS LIDOS
PÁGINAS LIDAS
MÉDIA/DIA
JANEIRO
0
0
0
FEVEREIRO
1
111
3,94
MARÇO
3
622
20,06
ABRIL




MAIO



JUNHO



JULHO



AGOSTO



SETEMBRO



OUTUBRO



NOVEMBRO



DEZEMBRO



TOTAL
4
733
8,14 (até o final de março)         
Média de pg/mês:  244,33

Média de livro/mês: 1,33
Média de pg por livro:183,25



Veja também!



sexta-feira, 14 de abril de 2017

Vício?

Em uma conversa entre Bjorn e Ragnar, antes de atacar Paris, Ragnar passa por uma crise de abstinência, supostamente de maconha ou algo do tipo que uma escrava chinesa tinha dado para o rei Viking. Ragnar olha para o filho e explica que se sente mal pela falta da droga, então Bjorn afirma:

- Então use mais.

Enfim, sem spoiler, porque não sou desses (mentira, sou sim).  Mas isso me fez pensar, sempre quando temos algum tipo de vício, fugimos disso, como se fosse algo ruim. Mas a vida e o que chamamos de excelência está diretamente atrelada ao vício. Se uma pessoa é excelente em um trabalho ou hobbie, que forma ela alcançou isso, a não ser pelo vício? Vale a reflexão. 


Veja também!



Robin

Da série: "Aceita que dói menos".

Tem pessoas que passam por nossas vidas apenas para dar aquele UP, com momentos inesquecíveis. Quando ela sair, vai doer, mas o que podemos fazer? Ficar remoendo dor? Para quê? O ideal seria que a pessoa não saísse da sua vida. Apesar de ser triste, o correto é seguir o seu caminho e lembrar como foi bom amar aquela pessoa.

Sem remorso, sem ficar se perguntando: "O que eu fiz de errado?". Guarde as boas lembranças e voe alto. É assim que deve ser :)


Créditos Cinematologia



Veja também!





Quero seu bem, meu velho

Ah, por quantas vezes tive muito ódio de você. E vi como estava sendo ingrato e filho da puta (com todo respeito, Mãe). Você é o cara que eu mais admiro na caralha da minha vida. Você é forte, humilde, esteve no céu, caiu e ressuscitou como uma fênix. Talvez, de forma indireta, a minha primeira tatuagem seja em homenagem ao homem foda que você é.

Queria olhar nesses seus olhos verdes, que eu queria herdar, mas não herdei, e dizer que te amo para caralho. E sei que você me ama, mesmo sendo o filho fora da curva, talentoso, mas muito louco. Sei que a cada conquista que tenho, falo para você, e como você me conhece melhor que ninguém, ao invés de me elogiar, e eu ficar sem graça, você simplesmente me desafia.

Lembro do primeiro 10 que tirei na Veterinária, liguei para você e disse:

- Pai, fui o único da sala a tirar 10, o segundo tirou 7,5.

- Tá, mas e  as outras matérias? – você respondeu.

Porra, eu fiquei mó puto e pensei como você era ingrato. Mas fui o melhor aluno que eu podia naquele ano de Veterinária, e fui sim um dos três melhores alunos da sala na época.  E você sempre me desafiou, em todas as áreas da minha vida.

Sempre que eu esperei um elogio, você me desafiou. E sempre que você me desafiou, fui o mais foda que eu poderia ser. Meu, você não sabe como você me fascina. E apesar de nunca ouvir uma palavra de reconhecimento, vejo em seus olhos como você é orgulhoso do que seu filho se tornou.

Então, é isso, sempre que eu  falar alguma coisa, vou esperar seu desafio. Nos momentos, meus olhos vão ficar em chamas de raiva, e essa raiva que vai fazer eu me superar. Você sempre foi minha motivação, o seu reconhecimento explícito é algo que eu nunca vou ter, mas mesmo assim, é por você e pela “véia” que eu vou lutar.

Nunca disse que te amo, nem pra mãe, já desperdicei essas palavras três vezes. Mas sei que o amor verdadeiro está em vocês. E sei que vocês vão me esperar sempre, me aceitar do jeito torto que sou e me fazer ir além.

Se isso não é amor, não sei o que é. Obrigado meu velho. Você é foda.


Veja também!



#01 pontapé positivo

Que dia sensacional. Consegui sentar minha bunda suada e estudei por duas horas. Sei que está bem longe da teoria que fala que temos que fazer 10 mil horas seguidas de algo para que a gente se torne especialista. E pensando a curto prazo, a Copa de 2018 já tá aí.

Mas é isso, hoje consegui assistir um pouco de série com legenda e estudei um tempo bacana. Andei por quase uma hora de bike e vi o Sol se pondo. Dia muito produtivo e não tenho o que reclamar. Agora só falta pensar no meu outro sonho: Terminar meu primeiro livro.

E a motivação tá aí para ajudar. Saiu sabe deus de onde, mas hoje foi um dia incrível. Que venham mais dias assim.


Veja também!

Você será jamais

Já foi

O Sol e a Sepultura

Você será jamais

Mais uma vez o Sol está indo embora,
e como sempre você se preocupando demais.
Se continuar assim esquecendo o agora,
para o universo, importante você será jamais.



Veja também!



Por que tão Tom?

Uau. Se existem dois personagens que lembram a minha personalidade em relação a relacionamentos são: Ted e Tom. Não sou bonito, tampouco criativo igual eles, mas talvez no quesito ingenuidade. Quando era adolescente, não me preocupava tanto com mulheres, na verdade, de vez em quando saia com uma ou outra, mas deixei um amor platônico tomar conta de todo o período do ensino fundamental até o médio.

Nunca trai. Nunca menti. Nunca desconfiei. Lembro que após terminar meu segundo namoro, que considero o único duradouro, fui obrigado a ouvir algumas palavras e ver uns prints extremamente podres:

- Tá vendo esse seu suposto amigo, olha o que ele me mandou dois dias depois que terminamos. Isso mesmo, vai confiando demais, vai se foder pro resto da vida.

- Fazer o quê. Você está solteira. Não existe esse sentimento de posse, nem nada. Mas é bom para saber que ele não é tão meu amigo – respondi.

Ela enviou um print antigo. Nunca havia desconfiado dela, tampouco desse colega de faculdade, que não era bem um amigo. Mas o fato é: ela  dava moral para o cara, e o suposto amigo me apunhalava pelas costas. Ok, vida que segue. Não odeio ele, nem ela. Apenas tenho 85 pés atrás com ambos.

- Sabe a sua ex, cara. Vi ela ficando com um conhecido meu quando estava com você. Não sabia como te falar isso. Então, deixei quieto – um conhecido me “avisou” algum tempo que levei um pé na bunda de outro relacionamento.

- É verdade, pessoa x?

- Sim, é.

Isso vindo de uma guria que tinha ciúme até do peido que eu dava. É engraçado, esse lance de confiança em relacionamentos. Mas voltando ao tema principal, sempre confiei demais nas pessoas, sempre acreditei nas pessoas. E isso como sempre vem me trazendo decepções atrás de decepções.

Outro dia enquanto pesquisava referências para meu trampo, encontrei uma revista de Psicologia que dizia que os países que mais confiam, tem melhor índice econômico e de desenvolvimento escolar. Levantou dados de Suécia, Dinamarca e etc,  países com uma cultura totalmente diferente da brasileira, e fiquei pensando nisso.

Em um mundo em que as pessoas são tão podres, até que ponto você ter uma certa ingenuidade pode te fazer mal? Sinceramente, eu não sei. Mas como disse outras vezes aqui, quando estou com alguém, sou 100%, seja em relacionamentos e amizade, e isso reflete também na vida profissional.

Não vou mudar o jeito que eu sou. Mas sei que ser Tom/Ted demais, acaba fazendo com que eu sofra. E quando você sofre, é mais difícil de seguir em frente. Enquanto me lamento, existem meus concorrentes da vida que estão dando braçadas largas. Então é necessário aprender com isso e seguir a vida. Porque ela é uma só e passa muito, mas muito rápido.


Veja também!