sexta-feira, 29 de julho de 2016

Quanto tempo dura uma dor?

Dor. Tá ai uma palavra que muitas pessoas usam. Eu achei que a conhecia, até a encontrar de verdade. É como um salto grande, para conseguir sentir algo extremo, você precisa ir para o outro lado, e a queda pode ser eterna, insuportável.

Cheguei ao ápice da felicidade, de forma que nunca tinha chegado antes. Foi pouco tempo, mas em uma intensidade fora do normal. Hoje só me restam duas coisas: lembrança e dor. Lembranças das coisas boas e felizes, nenhuma ruim, apenas de minhas atitudes que fizeram tudo ir água abaixo.

Queria voltar no tempo e apagar tudo de errado que eu fiz, refazer tudo isso e te fazer sorrir de orelha a orelha. Olhar na imensidão de seu sorriso, mergulhar em seu olhar castanho tão lindo, angelical.

Sinto saudade. Poderia só descrever assim. Mas a dor é maior. A dor de perder um amor verdadeiro, o amor da minha vida. E mais que isso, perder a única chance de felicidade que eu encontrei em alguém.

Joguei tudo no lixo. Como sempre, não fui homem o suficiente para preservar a flor que Deus jogou em minha mão. Não a reguei, apenas a tratei mal. Hoje a vejo distante. Mas mesmo assim tenho esperança.

Tenho esperança porque se Deus realmente existe, ele não faria eu conhecer uma pessoa tão especial, perfeita, a mulher de meus sonhos e deixar que minha imbecilidade deixasse que ela escapasse por meus dedos.

“Ó Deus, sei que nunca coloquei muita fé em ti, mas agora não vejo a quem mais suplicar. Por favor, te peço de joelhos que faça o mundo andar alguns dias atrás. Nunca mais cometeria os erros que cometi, nem dizer aquelas palavras que tanto machucaram a flor mais linda e delicada desse mundo. Que de tanto eu tratar mal, acabou murchando e perdendo a vida. Só te peço isso, mais nada.”


Nenhum comentário: