quinta-feira, 7 de julho de 2016

Diário de uma Terça que não foi qualquer

Estava deitado em minha cama, após tomar banho e navegando pelo tinder. Vi várias meninas sem graça, algumas fotos forçadas e muitos peitos, sim, peitos. Até que deparei com uma diferente, piercing e um visual meio gótico. Lembrei da época do ensino fundamental e o visual emo. Passei as fotos e me deparei com uma que ela estava com um vestido amarelo, com um dos lados caídos.

Ela era linda. Claro que dei like. Algumas horas depois, vi que tinha uma combinação. Elogiei aquele vestido vermelho, que era sexy para caralho. Ela deu risada e não me respondeu mais. Não fiquei satisfeito, a encontrei no face e a adicionei. Isso foi numa terça-feira, a terça que mudou minha vida.

Pode parecer presunção falar isso. Mas vejo minha vida como vários “pilotos automáticos”, assim como disse aquela música chiclete do Supercombo. Eu pensei que estava em uma vibe boa, mas mal sabia que tinha me afastado dos sentimentos verdadeiros.

Mais de dois anos depois de me envolver, senti o retorno de meus sentimentos. Olha só, que piegas. Mas dentro daqueles olhos castanhos e aquele sorriso branco. Sinto uma certeza fora do comum.

Não sei se vai durar um mês, um ano ou uma vida. Mas tenho certeza que vou me lembrar, porque em um momento crucial da minha história – próximo de me formar. Ela me fez repensar no que é realmente importante para mim.

E isso já valeu a pena – para todo o sempre. 

Nenhum comentário: