sábado, 30 de julho de 2016

Acordo, a primeira coisa que vem a cabeça é você. Pego meu celular e vejo aquele vídeo que você me enviou. “Eu te amo muito, muito, muito, muito, muito”. Pego os áudios felizes em que você falava de seu dia e os planos que tinha com a gente.


Outros vídeos, você com suas primas, mostrando um amor maternal lindo. Tão linda. Tão perfeita. A cada dia que acordo, sou obrigado a aguentar a dor e o peso de ter jogado a nossa felicidade fora.  Só sobrou a dor e o arrependimento. Não sei se tenho forças para me reerguer.

Nenhum comentário: