quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Ano novo?

E está aberta a temporada de textinhos de ano novo. Cheio de mimimis sem graça, falando que o ano foi duro, mas valeu a pena.  Também vale abrir a aba de amigos que você não tem o que conversar e mandar um “feliz ano novo”. Você também pode fazer isso com pessoas desconhecidas, afinal, ninguém liga. Não é um passar de datas que vai mudar o que você é, o único capaz disso é você. 

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Sem expectativas

Reinaldo Del Trejo


Há um tempo, eu tinha um dom. O dom de me apaixonar pelas pessoas. De me deixar aproximar. Hoje, esse dom não existe mais. Talvez por um medo ou até mesmo como uma proteção.

Ou talvez eu prefira meus livros a conhecer outras pessoas. O ser humano é decepcionante, quanto mais você conhece, mais você prefere se afastar. Hoje estou bem. No fundo, gostaria que as pessoas não fossem assim, mas elas são.

Prefiro não dizer que perdi o dom de amar, mas que prefero me amar. Dessa forma, vou me preparando para os dias que virão. Seja de forma consciente ou não, assim que vou encarar os dias. Sem expectativa, sem frustração. 

sábado, 12 de dezembro de 2015

Chegou a hora?

Reinaldo Del Trejo


Já parou para pensar como a vida é estranha? Nascemos, crescemos e nos perdemos. Ou melhor, eu nasci, cresci e me perdi. Quando tinha meus 15 para 16 anos era tratado como uma boa promessa, mas infelizmente essa promessa não vingou.

Vivo em um vazio sem esperanças. Não olho para frente com um plano concreto, tampouco objetivos detalhados. Quando uma pessoa me mostra objetivos específicos, fico extremamente fascinado. Mas afinal, o que aconteceu para eu me perder?

Às vezes me condeno. Não sei se é o certo. Porque no fim, a única coisa que realmente importa é o que está acontecendo. E talvez esse seja o grande problema. O agora é obscuro e sem sentido.

De tantas incertezas, a única conclusão que eu tenho é que não dá para ficar me rastrejando, mas o que posso fazer?  Me usar como um tipo de protótipo para conseguir uma ou outra coisa? Bem, eu já fiz isso. O resultado foi degradante.

O maior problema é que todos esses impasses são inventados e nunca solucionados. De vez em quando, eles vêm a tona e me atormentam, como esse dia que acordei as 5h de um sábado. A vida já não tem graça. Mas não sei se um dia realmente teve ou eu apenas fazia o que me era proposto.


Só sei que as coisas não estão bem. É hora de mudar.