terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

A vida é triste



A perna necrosada, mancando, uma filha de cerca de dois anos linda, sua esposa grávida e uma casa humilde, desempregado. A pergunta que fica no ar é: “ Por que aquele maldito fez uma coisa tão desonrosa que fez com que ele tenha que pagar tal quantia para uma empresa?”.

Os anos foram passando, essa memória tinha sumido do meu eu, até que como um turbilhão, ela retorna e me atormenta. Não sei exatamente o que fazer, mas depois de pensar muito, cheguei na conclusão que não há nada a ser feito.

Sem poder financeiro, tampouco do tempo. Os anos já corroeram essa lembrança infeliz. Todavia, não sei o motivo, mas a mesma me persegue, fazendo barulho igual o ar condicionado do quarto dos meus pais.

A impotência de saber que um ato desonroso afetou tanta gente. E aos poucos vou aprendendo que a vida é, no mínimo, triste.


Abra a mente: 





Nenhum comentário: