segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

A reviravolta de João



Era uma vida sem sentido. João vivia especulando o que fazer para sair do seu aneurisma cerebral. Estava cansado de ser assassinado a cada raiar do Sol, a verdade é que ele não era lá essas coisas, não passava de um menino cheio de sonhos e uma vontade insana de ser feliz.

Porém, a felicidade batia longe de sua porta. Tantas tentativas perambulantes  e nada dava certo. Até que em uma bela Quinta-Feira, ele resolveu sair de casa e abandonar Marquito, seu gato, que adorava ver João escrevendo e escrevendo, não saindo do seu belo e confortável comodismo.

Marquito ficou triste, porque João começou a gritar e gritar. E já não cabia em um mar de lamentações que eram jogadas no lixo, cada página riscada com um nervosismo cruel e evidente.

João mudou seu destino. Andou por caminhos diferentes e começou a sorrir. Logo ele, que em um  passado distante, pensou em terminar seus dias de uma forma sombria e macabra. É, as coisas mudam. 


Abra a mente! Visite os posts do Blog Mente Aberta!  

Vamos dar um pouco de tempo

O normal cansa

Cansado de estar cansado


domingo, 15 de dezembro de 2013

Queria ser eu


No filme “Forrest Gump”, excelente por sinal, Forrest ao ser perguntado o que queria ser quando crescesse disse uma frase interessante: “Quero ser eu”. Fiquei pensando esses dias, antes de abrir esse documento de Word e atualizar o Blog.

Querer ser apenas o que você é. Nunca vi resposta mais clara, objetiva e sincera. Já que quando a gente menos vê, estamos sendo empurrados por um mar de pressão. Seja pelo lado financeiro, intelectual ou emocional.

Nunca nos importamos tanto com o que o outro pensa. Veja isso na faculdade, onde os cursos “modinhas” sempre estão abarrotados de pessoas. Sempre me perguntei onde estão os sonhos dessas pessoas? O que elas queriam ser quando eram mais novas? Onde foi parar o meu sonho também?

Às vezes me pergunto onde enfiaram nossos anseios. Quem roubou toda a coragem de mudar o mundo? Será que a vida é tão vazia e sem graça que sempre vai dar sono ao acordar? Bom, eu não sei.

Apenas sei que as pessoas deveriam querer ser mais elas do que os outros. Já que a vida dura no máximo uns 100 anos. Então, tá na hora de fazer algo a respeito.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

A vida está passando


O caminho estreito de terra, a poeira era levantada e o olhar nostálgico passando pelos retrovisores. A vida passando a cada marcha. O vento sendo quebrado pelo para-brisa, e em um momento eu percebi. A vida está passando.

Vinte anos nas costas. Duas faculdades iniciadas, uma vivência grande. Ideais mudados, revolucionados. Nada mais é como antes. O sabor e a vontade de mudar não existem mais. O sorriso beira a penumbra e a luta já não é mais sangrenta.

O olhar revoltoso já virou um “quero passar os dias”. A luta em alguns momentos virou acomodação. O divertimento virou uma válvula de escape. Tudo está mudado, a vida mudou, eu mudei.

Queria voltar alguns passos para trás. Sei que é algo nostálgico e impossível. Reclamar da vida é algo complicado, já que olha, fui eu que escolhi cada passo a ser dado. E é dolorido saber que de pequeno em pequeno passo, a gente sai totalmente da rota.

Hoje eu acordo para que o dia não seja doloroso. E esperando que um dia a vida volte nos trilhos. Aos pouquinhos, da mesma forma que ela saiu. E as vinte e quatro horas se tornam passagens saudosistas.