sábado, 28 de setembro de 2013

Eu sou o que eu queria ser quando crescesse?

   


Vi uma imagem esses dias no Facebook e fiquei pensando, afinal, será que quando eu tinha os meus dez anos eu queria ser o que eu sou agora aos dezenove? Essa pergunta me assolou e tirou meu sono por algumas noites e passei a pensar.

Poxa, será que tudo que eu estou fazendo na vida é errado? Será que nada está no rumo certo?  Será que minha imaginação sempre voou aquém do que eu realmente sou capaz? Será que nada passou de vago?

Lembro que aos doze eu sonhava ser um jogador de futebol talentoso, eu queria muito vestir a camisa de times como Corinthians, Barcelona e Chelsea. Mas por falta de talento ou até mesmo de insistência esse sonho ficou para trás.  Não sei bem se todo garoto de dez anos quer ser jogador de futebol, mas confesso que eu queria e muito.

Na verdade, não somente aos dez. Acho que esse sonho ficou rondando minha cabeça até meus dezoito anos, quando rompi o ligamento do joelho e engordei igual um porco. Então todo aquele sonho utópico se esvaziou.

Exatamente nessa época, eu prestei História na Unesp de Assis e acabei passando, mas até mesmo por covardia eu não fui. Lembro que nas discussões em sala de aula e no Senai eu falava que ia mudar meu entorno, a partir de uma pirâmide de pensamentos, e ia ser a pessoa mais feliz do mundo.

Mero utópico. A sociedade me pressionou tanto que me rendi. Acabei não indo para Assis, mas na época eu trabalhava na Sabesp e fiz inscrição em História na Unoeste, então estava tudo certo, até que veio o resultado do Prouni e putamente eu não consegui o de História e tinha conseguido o  curso de Medicina Veterinária, minha mera segunda opção.

Acho que um dia eu pensei em fazer Veterinária, pelo fato de meu pai ter sítio e tals, e eu sempre gostei de bichos. Mas foi ai que eu me perdi legal. Me perdi porque eu entrei em um período que mudou minha vida completamente. Não somente pela mudança repentina de curso, mas porque eu me ferrei legal com meu joelho, e passei 2012 inteiro fazendo fisioterapia. Era foda! Saía da faculdade e ia para a fisioterapia.

Foi um período que pensei em me matar inúmeras vezes. Pode parecer piegas falar isso, mas confesso que não aguentava ver meu peso aumentando de forma exorbitante e estudar em um curso que tinha um monte de gente com pensamentos diferentes do meu ( para não falar um monte de babacas ), mas fui levando com a barriga e pensava que um dia aquela tortura iria acabar.

Ai um dia eu encontrei um amigo meu e ele me disse de seu sonho de cursar Medicina. Achei incrível a ideia dele e pensei que eu não conseguiria viver só cuidando de bichos, logo eu, tão humano. Então tivemos a ideia “genial” de fazermos o ENEM e irmos para alguma cidade do Sul e lá estudaríamos para pegar o Prouni de Medicina aqui na Unoeste.

Mas existiram variáveis ferrenhas que mudaram minha vida. Número 1: Eu conheci a minha atual namorada. 2: Eu tirei apenas 650 e ele 720. Nota essa que poderia ser possível para ele pegar Medicina e assim ele não iria mais para o Sul. Então resolvemos ficar por aqui mesmo, galera, eu moro em Pirapozinho e a Unoeste fica em Presidente Prudente ( que fica há 20 minutos de distância ). Ah, só para saberem, ele pegou Medicina agora no meio do ano!

Porém, tinha um problema, a tal da Veterinária. Eu não aguentaria levar um curso daquele, que é difícil e a vivência com aqueles “lesados de botas” ( não todos, mas a grande maioria ), então veio o Prouni e resolvi fazer Comunicação Social, porque era um curso que eu tinha afinidade e também poderia usurpar da Unoeste, que tem uma puta estrutura.

Talvez você se pergunte o motivo de eu não ficar sem estudar e me focar no Enem, e eu te respondo: Só a cirurgia que eu fiz no joelho custaria 15 mil reais, e graças ao plano que meu pai paga desde minha infância, não custou nada! E eu só posso permanecer no plano de saúde se eu estiver estudando.

Então eu consegui a bolsa para Comunicação Social e agora estou focado no Enem para passar em Medicina. Muitos que me conhecem podem achar que é loucura e que eu não tenha afinidade para tal. Mas na boa, estou pouco me fudendo para esse tipo de opinião! Eu tenho meus anseios e objetivos e nesse momento é passar em Med. E depois eu vejo o que faço.

Mas respondendo a pergunta do título. É claro que eu não sou o que eu queria ser quando criança. Porém, querem que eu faça o quê? Fique chorando porque não consegui ser um jogador de futebol ou que eu me julgue porque não consegui fazer História? HAHA, eu não! Eu quero é mudar o meu entorno e ajudar as pessoas, e nada melhor que conciliar isso com um alto salário, não é?!

Nenhum comentário: