sábado, 28 de setembro de 2013

Eu sou o que eu queria ser quando crescesse?

   


Vi uma imagem esses dias no Facebook e fiquei pensando, afinal, será que quando eu tinha os meus dez anos eu queria ser o que eu sou agora aos dezenove? Essa pergunta me assolou e tirou meu sono por algumas noites e passei a pensar.

Poxa, será que tudo que eu estou fazendo na vida é errado? Será que nada está no rumo certo?  Será que minha imaginação sempre voou aquém do que eu realmente sou capaz? Será que nada passou de vago?

Lembro que aos doze eu sonhava ser um jogador de futebol talentoso, eu queria muito vestir a camisa de times como Corinthians, Barcelona e Chelsea. Mas por falta de talento ou até mesmo de insistência esse sonho ficou para trás.  Não sei bem se todo garoto de dez anos quer ser jogador de futebol, mas confesso que eu queria e muito.

Na verdade, não somente aos dez. Acho que esse sonho ficou rondando minha cabeça até meus dezoito anos, quando rompi o ligamento do joelho e engordei igual um porco. Então todo aquele sonho utópico se esvaziou.

Exatamente nessa época, eu prestei História na Unesp de Assis e acabei passando, mas até mesmo por covardia eu não fui. Lembro que nas discussões em sala de aula e no Senai eu falava que ia mudar meu entorno, a partir de uma pirâmide de pensamentos, e ia ser a pessoa mais feliz do mundo.

Mero utópico. A sociedade me pressionou tanto que me rendi. Acabei não indo para Assis, mas na época eu trabalhava na Sabesp e fiz inscrição em História na Unoeste, então estava tudo certo, até que veio o resultado do Prouni e putamente eu não consegui o de História e tinha conseguido o  curso de Medicina Veterinária, minha mera segunda opção.

Acho que um dia eu pensei em fazer Veterinária, pelo fato de meu pai ter sítio e tals, e eu sempre gostei de bichos. Mas foi ai que eu me perdi legal. Me perdi porque eu entrei em um período que mudou minha vida completamente. Não somente pela mudança repentina de curso, mas porque eu me ferrei legal com meu joelho, e passei 2012 inteiro fazendo fisioterapia. Era foda! Saía da faculdade e ia para a fisioterapia.

Foi um período que pensei em me matar inúmeras vezes. Pode parecer piegas falar isso, mas confesso que não aguentava ver meu peso aumentando de forma exorbitante e estudar em um curso que tinha um monte de gente com pensamentos diferentes do meu ( para não falar um monte de babacas ), mas fui levando com a barriga e pensava que um dia aquela tortura iria acabar.

Ai um dia eu encontrei um amigo meu e ele me disse de seu sonho de cursar Medicina. Achei incrível a ideia dele e pensei que eu não conseguiria viver só cuidando de bichos, logo eu, tão humano. Então tivemos a ideia “genial” de fazermos o ENEM e irmos para alguma cidade do Sul e lá estudaríamos para pegar o Prouni de Medicina aqui na Unoeste.

Mas existiram variáveis ferrenhas que mudaram minha vida. Número 1: Eu conheci a minha atual namorada. 2: Eu tirei apenas 650 e ele 720. Nota essa que poderia ser possível para ele pegar Medicina e assim ele não iria mais para o Sul. Então resolvemos ficar por aqui mesmo, galera, eu moro em Pirapozinho e a Unoeste fica em Presidente Prudente ( que fica há 20 minutos de distância ). Ah, só para saberem, ele pegou Medicina agora no meio do ano!

Porém, tinha um problema, a tal da Veterinária. Eu não aguentaria levar um curso daquele, que é difícil e a vivência com aqueles “lesados de botas” ( não todos, mas a grande maioria ), então veio o Prouni e resolvi fazer Comunicação Social, porque era um curso que eu tinha afinidade e também poderia usurpar da Unoeste, que tem uma puta estrutura.

Talvez você se pergunte o motivo de eu não ficar sem estudar e me focar no Enem, e eu te respondo: Só a cirurgia que eu fiz no joelho custaria 15 mil reais, e graças ao plano que meu pai paga desde minha infância, não custou nada! E eu só posso permanecer no plano de saúde se eu estiver estudando.

Então eu consegui a bolsa para Comunicação Social e agora estou focado no Enem para passar em Medicina. Muitos que me conhecem podem achar que é loucura e que eu não tenha afinidade para tal. Mas na boa, estou pouco me fudendo para esse tipo de opinião! Eu tenho meus anseios e objetivos e nesse momento é passar em Med. E depois eu vejo o que faço.

Mas respondendo a pergunta do título. É claro que eu não sou o que eu queria ser quando criança. Porém, querem que eu faça o quê? Fique chorando porque não consegui ser um jogador de futebol ou que eu me julgue porque não consegui fazer História? HAHA, eu não! Eu quero é mudar o meu entorno e ajudar as pessoas, e nada melhor que conciliar isso com um alto salário, não é?!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

A diferença dos vinte centavos


2013 foi um ano que mostrou que a população brasileira está de olhos abertos para o meio político. Esse ano foi marcado pelo “Manifesto dos vinte centavos”, que foi uma série de protestos tendo como início a crítica contra a passagem de ônibus e, em seguida o protesto partiu para inúmeros itens sociais.

Desde o Impeachment de Collor, o Brasil não via uma manifestação desse tamanho. Embora, o início dos protestos terem sido na maioria das vezes pacíficos, quase sempre acabavam em vandalismo. Mostrando que muitos não entenderam o real intuito da movimentação, que era lutar em prol da população e não para atacar o público, privado e executivo.

Entretanto, a população mostrou que ainda é capaz de reivindicar seus direitos. Porém, devemos aprender que a luta deve ser conjunta e não separatista. Sendo que em alguns casos, pareceu que o ódio contra as camadas altas era evidente.


Portanto, os manifestos dos vinte centavos foi uma série de eventos que mudou a forma dos brasileiros encararem a vida política, ressaltando que a voz do povo ainda é ouvida. Porém, o uso da violência deve ser evitado, já que sempre existe a comunicação para exaltar os anseios sociais.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

30 dias


O que são trinta dias para você? Bom, na faculdade seria a diferença entre ir bem nas provas e ir mal. Na academia seriam uns 4 quilos mais magro ou de massa. No futebol, a diferença entre o campeão e o perdedor.

30 dias. E tudo isso fruto de uma escolha, a escolha da procrastinação. Daqui trinta dias será efetuado a consumação de um trabalho ou o fracasso. De fracasso em fracasso a vida tá andando, não sei se para frente ou para trás, mas está andando.

O problema é que vários caminhos foram escolhidos, e eu tenho medo de me perguntar quantas oportunidades a vida me dará. Porque estou escorregando na beira da dúvida há muito. Eu queria ter certeza absoluta, mas essa verdade não existe na minha cabeça.

Então vou levando. E enfim, tá na hora de eu ir lutar por esses 30 dias. Que não é tão pouco assim, afinal 30 dias tem o equivalente à 720 horas, o que deve ser o suficiente. Ou não. Só daqui trinta dias saberei!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Não sonhe. Faça





O vento bate na cortina, um ar gélido e descontínuo, a respiração se prolonga, as folhas estão espalhadas pela mesa. A busca pelo objetivo anseia ação. A ação simplesmente não aparece e a confusão toma conta. Afinal, o que diferencia um querer de um fazer?
Os anos estão passando, a recessão parece bater na porta. O desejo e o vício tomam conta. Os sonhos primários e secundários já ficaram para trás. A busca pela salvação perpetua o coração solitário. A vida está indo e as mãos estão ficando calejadas de tanto apertar o lápis que insiste escrever palavras errantes.
Os olhos castanhos não choram mais. Porém, o caminho estagnou. Agora, é agarrar um objetivo com unhas e dentes. Porque é a única coisa que sobrou em uma sociedade que não deixa as pessoas sonharem.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

A primeira revista: Sports !

É galera, semana de prova comendo legal, e para variar um projeto de revista, deu um trampo do caralho, mas saiu! E to compartilhando com vocês!




domingo, 22 de setembro de 2013

Tenha um plano B


Para isso, é necessário  saber lidar com os “fracassos” da melhor forma possível, e nada melhor do que ter outro objetivo em vista. E para isso existe o tal do plano B. Porque não existe passar mais vago que uma vida sem sentido.
Achar o sentido da vida é extremamente complicado. É difícil até dizer se existe um real sentido na vida. Mas o fato é, se não tivermos algum plano, a vida pode se tornar vazia. E garanto que ninguém quer isso.
Porém, é complicado aceitar que não temos condições de suprir nossas metas, mas infelizmente a vida não é tão fácil quanto queremos. Indo além de conseguir ou não conseguir, acredito que quando queremos uma coisa de verdade não existe tempo ruim, unha encravada, nem nada para atrapalhar.
Enfim, caso a pessoa não consiga suprir sua meta inicial, que pule para outra! E nada melhor que ter o plano b em mente. Exemplo: Se você quer passar em um curso extremamente concorrido, tenha em mente o que fará caso não consiga a façanha.

Você deve ter em mente, que fracassar é uma possibilidade. Então, ou você se prepara novamente para seu objetivo ou então busque metas alternativas.  Porque Objetivos = Vida com sentido, sem objetivos = vida sem sentido. 

sábado, 21 de setembro de 2013

Se eu morresse hoje



Não queria que você chorasse muito. Queria mais que você se lembrasse dos bons momentos, das risadas, das brincadeiras bobas, dos beijos, dos abraços. Eu queria que você se lembrasse do primeiro encontro, sim, aquele que você não sabia se eu era eu.

Se eu morresse hoje. Eu queria que você pensasse no quanto eu te amei. E olha, eu amo pra caralho. Queria ser cremado e que você enterrasse minhas cinzas no local que a gente se conheceu. E não, isso não é uma simpatia. Queria que você fizesse isso para se lembrar que uma pessoa pode morrer, mas um amor não.

Se eu morresse antes de você, acredito que sofreria menos que o contrário. Não sei se é um egocentrismo meu, mas eu te amo tanto que não sei se é possível viver em um mundo sem você. Chega a doer pensar em tal coisa.

E acima de tudo, se eu morresse hoje, eu queria que você continuasse a viver e que fosse muito feliz. Porque amor é um sentimento tão nobre, que não dá para assimilar com prisão. Porque bem, eu te amo, e quer melhor explicação que o próprio amor?!

O que compartilhar?



No século XXI, estamos vivenciando algo que mudou totalmente a maneira do ser humano se comunicar, que são as redes sociais. Essa rede é capaz de transmitir ideias para o mundo todo em questão de segundos. Porém, surgiu uma dúvida, que é como saber separar o que é público e o que é privado.

A disseminação de ideias evoluiu de forma exponencial desde que o mundo se conectou. Um fato recente foi a Primavera Árabe, onde uma ideologia foi espalhada e transformada em queda de ditadores. Esse fato mostrou que uma ideia pode ser implantada em uma população a partir da internet.

Além disso, uma simples frase é capaz de transformar o dia de alguém, como um elogio para uma pessoa depressiva ou até mesmo uma dica. Mostrando que existem coisas que devem ser passadas para o próximo ( ou não tão próximo ). Porque o ser humano é um “bicho social” e tem a necessidade de expor o que pensa e sente.

Porém, existem problemas na divulgação de informação pessoal. E em alguns casos, as pessoas expõem o que não deve ser compartilhado, como a foto de sua casa ou até mesmo um destino. Porque infelizmente existem pessoas de má fé que acabam se aproveitando desse tipo de informação, lembrando que qualquer um pode ter acesso a sua conta, e o inimigo pode estar até mesmo em seu ciclo de amizades.


Para que exista uma separação entre o público e o privado, é necessário que exista uma noção do que pode ser compartilhado e com quem compartilhar. Para isso acontecer é necessário que as mídias batam na tecla do que é particular e o que é público, sendo que educar também é um papel da mídia. Tudo isso deve ser feito para que as pessoas entendam que mesmo em um mundo conectado, ainda existem  coisas que precisam ser mantidas em “off”.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Grandes homens


A grandeza é algo que a gente constrói. Mas para isso, é necessário lutar, lutar e lutar. Nada de ficar parado ai reclamando da vida. Agora, levanta essa sua bunda suada e vai lutar por sua vida!

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Pela metade


Um dos maiores males da humanidade é a tal da multitarefa. Sim, a multitarefa, que muitas mulheres dizem ser um atributo quase que divino. Mas você ai sentado na sua poltrona deve estar se perguntando o motivo da multitarefa ser um male.

Então vamos lá. Responda pra você mesmo, o que você estava fazendo quando estava naquela aula maravilhosa de português. Pera, deixa eu adivinhar, tava mexendo no celular ou pensando na festa do final de semana ou algo do tipo.

É complicado, principalmente para nós que somos adolescentes focar em apenas uma coisa. Porém, apesar de ser complicado, não é impossível. Basta ter força de vontade e determinação e aproveitar cada momento.

Chega de viver meios acontecimentos. Porque a vida não é feita pela metade. Pelo contrário, ela deve ser usurpada até o caroço. Sendo que não existe coisa mais mágica do que aproveitar o momento, brisar, deixar acontecer.

Temos que parar de viver a vida pela metade. Porque ela é uma só, não tem prorrogação, tampouco acréscimo. Agora, na hora  que estiver fazendo uma coisa, aproveite essa coisa, e lembre-se, cada momento é único. E o resto? Bem, o resto deixa para depois!

domingo, 15 de setembro de 2013

Liberdade vem depois do sonho?



Estava pensando nessa pergunta ao analisar como algumas pessoas enfrentam a dependência financeira e psicológica. Um exemplo claro disso é quando um adolescente mora com seus pais e está cursando um curso de nível superior.

Nessa idade, vem em nossas cabeças várias incógnitas, como quando começar a trabalhar e o que vem a ser um desejo da maioria dos jovens, que é morar sozinho. Mas o problema é que caso a escolha seja feita a partir de uma suposta independência, acabamos perdendo várias coisas.

Já estudei e trabalhei na época do ensino médio, e sei o quão ruim é. E olha que eu to falando de escola pública e no período noturno. Imagine levar um curso superior e conciliar com um trabalho? Olha, sei que existem casos e casos. Porém, o que vou falar nas próximas linhas é para repensar no que você anda querendo fazer.

Existem ciclos na nossa vida. E na vida de um jovem existem os seguintes: 1- Curtir a escola ( jogos, conversas jogadas fora e tal ); 2- Estudar firme para o vestibular; 3- Levar o curso superior da melhor forma possível e 3- Trabalhar.

Acredito que esse seja o ciclo a ser seguido. Eu, por exemplo, acabei pulando etapas e acabei não tendo uma preparação adequada para o vestibular. Embora, todos queiram ter sua quase independência financeira, antecipar algum ciclo seria no mínimo displicência.

Em alguns casos, os pais acabam pressionando muito ou até mesmo fazendo uma pressão quase que ditatorial. Porém, em tais casos, é necessário sangue frio e pensar que tudo que você está fazendo é por um objetivo. E para toda escolha é necessário uma renúncia, e nesse caso seria a renúncia da liberdade por um bem maior, que seria a profissão que você almeja.

Entretanto, caso não exista outra saída, e você realmente tenha que trabalhar. Que faça isso da melhor forma possível, sem se achar um coitado. Porque a sociedade adora pisar e espatifar aqueles que se acham vítimas do destino.

É claro que existem casos extremos, e para tais, são necessárias medidas extremas. Porém, minha dica é que não se pule ciclos. Lute primeiro pelo seu sonho, e a liberdade será consequência disso. E foda-se o que os outros digam! Muitas vezes, acabamos invejando aqueles que têm  grana no período da faculdade. Porém, quando esse pensamento vir em sua cabeça, lembre-se que você está lutando por você. E a construção é progressiva e árdua, e não de uma hora para a outra.

sábado, 14 de setembro de 2013

Célebro?!

É galera, com o aumento da tecnologia e da mensagem instantânea, muitas empresas acabam tendo que contratar muitos jovens com pouca técnica para escreverem artigos na internet. E acabam gerando pérolas incríveis, como essa.

Poxa, escrever célebro? Sei que pode parecer engraçado no começo, mas é um erro infantil, que merece críticas! Ainda mais em um site como o Yahoo. Por mais qualidade na informação!

Link da notícia: http://br.esporteinterativo.yahoo.com/fotos/o-maior-milan-de-todos-os-tempos-slideshow/ruud-gullit-milan-photo-1379019557102.html


sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Construção do lar


Em uma segunda-feira ensolarada, o jovem universitário foi acordado por seu irmão, ao ir para a cozinha tomar café foi abordado por seu pai: “Não tem mais casa não?”. O rapaz ficou calado e não comentou nada, porém no exato momento pensou o que viria a ser casa.

Em seguida chegou na conclusão que um lugar físico ele tinha, porém para ele, essa definição era extremamente vaga. Porque ele queria um lugar para se sentir acolhido e que ele quisesse ir para lá sempre. Mas esse lugar simplesmente não existia.

O lugar onde seu pai chamava de casa não passava de um lugar cheio de intrigas, onde não existia um lugar totalmente tranquilo. Nem em seu quarto ele tinha sossego, já que lá existia um desordeiro que lhe tirava o sossego.

Quando esse rapaz ia falar no telefone, tinha que se trancar no banheiro para poder ter um pouco de privacidade. Já que aquilo lhe tinha sido roubada há muito. O menino chorava e se perguntava o que tinha feito para merecer aquilo, e ele não sabia.

Embora não acreditasse em deus, às vezes tentava buscar uma explicação plausível para todos aqueles males que lhe assolavam. Mas resposta alguma ele encontrava. Até que do nada veio em sua cabeça o motivo de não ter dormido na sua “casa”, e sorriu, sorriu porque sabia que no fundo estava construindo aos poucos o que ele um dia chamará de lar.

Seus olhos brilharam e imaginou um cenário distante. Algumas crianças brincando com o cachorro, a mulher feliz, a vida andando pra frente e soube naquele momento que tudo que estava acontecendo teria um fim. Seja ano que vem ou daqui uns 6 anos, quem sabe e assim o rapaz espera. Espera até um dia poder chamar um lugar de casa.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Doe sangue, não dói nada


Hoje fui doar sangue e fiquei impressionado em como o procedimento evoluiu desde ano passado, que foi a última vez que eu pude doar. Depois que eu doei me senti tão útil e sorri, sorri porque eu consegui salvar um dia na minha vida e fiz com que ele não fosse mais um passar de datas.

O maior incômodo são as perguntas indiscretas. Vou até falar algumas: “Você se relacionou com alguma prostituta ou homem nos últimos 12 meses?”; “ Você usa ou usou drogas ilícitas?” e blá blá blá. É um enchimento de saco até mais ou menos. Porém, nada que o gosto de ajudar alguém não solucione.

Ano passado, eu precisei levar três agulhadas para poder doar. Hoje eu levei apenas uma e uma espetada no dedo para realização do hemograma e uma agulhada que tinha dois tubinhos, um que ia para uma ampola para realização dos testes de doenças que impossibilitam a doação do mesmo e o outro para o enchimento da bolsa de sangue. Posso garantir que o procedimento é rápido e seguro.


Embora o principal objetivo de doar sangue seja o de ajudar o próximo ( e quem pode não estar tão próximo ), você pode doar para ver se tem alguma doença e tirar o peso da consciência daquela bola fora ( ou bola dentro? ) do final de semana. É como diz aquele velho ditado: “Os fins justificam os meios”. Porque no fim, o que importa é ajudar o próximo. Por isso, doe sangue! 

Bicho Mãe


Mãe é um bicho esquisito que consegue ver no filho o que ninguém mais vê. Que não usa palavras ofensivas e que tenta defender a sua cria de todos os males do mundo. É a única pessoa que vai confiar em tudo que seu filho fizer ou deixar de fazer.
É aquela que deixa de ter algo para dar para o filho, que luta, se mata, não se importa em renunciar tudo para o filho, porque se o filho estiver mal, nada teria sentido. Mãe é um bicho foda que merece respeito.
Nunca vi uma classe ser tão digna de inspiração. E se o mundo fosse mais mãe, talvez não estivéssemos nessa merda que estamos. Mãe, como consegue ser tão mãe? Porque as mães são tão puras? Por qual motivo essa pureza não é transmitida para as outras pessoas?
Mãe. Sem mais. Apenas mãe. 

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Filtro completo em um canudinho



Às vezes, as tecnologias mais simples têm o maior impacto na vida das pessoas. Veja como exemplo o sistema de filtragem móvel da empresa suíça Vestergaard Frandsen, batizado de LifeStraw (“canudo da vida”). É um tubo de plástico azul – mas muito mais grosso que um canudinho comum – contendo filtros que tornam potável a água contaminada com microorganismos que provocam cólera, febre tifóide e diarréia.

Os filtros, fabricados em resina halógena, matam quase 100% das bactérias e cerca de 99% dos vírus que passam pelo LifeStraw. A University of North Carolina em Chapel Hill testou o canudo com uma amostra de água contendo as bactérias Escherichia coli B e Enterococcus faecalis, além do vírus MS2 colifago, e mais iodo e prata. Os resultados indicam que o LifeStraw filtrou todos os contaminantes a níveis em que não representam mais um risco à saúde de quem ingere a água.

No entanto, o canudo não filtra metais pesados como ferro ou flúor, nem remove parasitas como a giárdia ou o criptosporídio, apesar de o CEO da empresa, Mikkel Vestergaard Frandsen, afirmar que há uma versão do LifeStraw disponível para grupos de ajuda humanitária em Bangladesh e na Índia capaz de filtrar arsênico.

Com menos de 25 cm de comprimento, o canudo pode filtrar até 700 litros de água - estimativa do consumo anual de uma pessoa. O LifeStraw deve ser jogado fora quando seus filtros ficam entupidos demais para permitir a passagem de água, o que acontece geralmente após um ano de uso.
O sucesso do sistema pessoal de filtragem levou a Vestergaard Frandsen a lançar no começo deste mês o LifeStraw Family, um purificar microbiológico instantâneo que fornece cerca de 10 litros de água potável em uma hora, ou até 15 mil litros durante sua vida útil para uma família de seis pessoas. O LifeStraw Family foi projetado para filtrar sujeira, parasitas, bactérias e vírus, e estará disponível a partir de maio.

O próximo passo será promover a tecnologia do LifeStraw para que organizações não-governamentais (ONGs) e grupos de ajuda humanitária passem a comprá-los e distribuí-los. Não se trata de uma tarefa fácil, já que a necessidade de água potável não é tão promovida como a prevenção contra a Aids ou a alfabetização em alguns países em desenvolvimento, explica Frandsen: “Ninguém está estrelando uma campanha de erradicação da diarréia”.

No entanto, o LifeStraw foi apontado pela empresa de relações públicas Saatchi & Saatchi como a principal “idéia que mudará o mundo”, em uma competição recente de tecnologias com impacto na medicina, educação e ajuda humanitária. O grupo Vestergaard Frandsen recebeu US$50.000 da Saatchi, e mais US$50.000 em serviços da empresa de RP.

A Saatchi, que pertence ao Publicis Groupe SA, da França, elegeu o LifeStraw entre várias invenções (veja os slides). Entre eles estavam um controlador reutilizável para a distribuição de fluidos intravenosos; uma roda que pode ser dobrada para ser armazenada mais facilmente quando não estiver sendo usada em bicicletas e cadeiras de roda; um mostrador em 3-D que usa uma óptica especial e um programa de computador para projetar uma imagem parecida com um holograma da anatomia de pacientes com câncer, um laptop que gasta pouca energia, dedicado a crianças em países em desenvolvimento; um sistema de impressão para fabricar esqueletos de tecido para cultura de células; uma prótese visual que manda sinais diretamente para o cérebro; livros com trilhas sonoras para ajudar a educar adultos analfabetos sobre questões de saúde; um telefone que fornece cobertura para populações rurais pobres em países em desenvolvimento; e uma interface cérebro-computador criada para ajudar pessoas com paralisia a se comunicarem por sinais neurais.


CRÉDITOS: http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/filtro_completo_em_um_canudinho.html

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Tempo de viver coisas novas


Nada mais justo que olhar pra frente e ver a vida com novos olhos.

Bianca Salgueiro - 1° lugar na UERJ em 2012

Essa garota tem uma força de vontade fora do comum. É claro que os pais dela que encaminharam ela para esse sucesso assustador. Porém, não dá para tirar o mérito dela, lembrando que ela conseguiu conciliar o trabalho na televisão com os estudos.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Longe é questão de conexão


A internet revolucionou os meios de comunicação unindo a facilidade com a comodidade. Essa união propôs algo novo para a sociedade, que foi a aproximação das pessoas distantes.
Depois que foram inventadas as redes sociais, os amigos distantes ficaram mais presentes, seja por longas conversas online, ou até mesmo pela observação de fotos, dando a impressão de estarmos próximos em todos os momentos.
Embora, as redes sociais tenham o poder de aproximar as pessoas, elas também carregam um grave impasse, que é a alienação. Ela faz com que as pessoas se preocupem demais com a opinião alheia, além de diminuir o contato físico. O que pode acarretar em sérios problemas sociais, como diz o estudo realizado pelo site estadunidense “Internet Time Machine”.

Portanto, apesar das redes sociais serem uma ferramenta com um poder incrível de aproximação, elas devem ser usadas de forma moderada e sem vícios. Para isso acontecer, é necessário que o usuário tenha controle, e para isso devem ocorrer aconselhamentos. Uma forma viável seria a introdução de alguma disciplina que ensine à nossos jovens como usar as redes sociais, e assim diminuindo um pouco a alienação.

Amor incondicional



No começo eu pensei que tudo passaria em branco,
que iria sofrer como sempre, mas com o tempo eu percebi
que tudo isso viraria sim amor.
Nunca pensei que encontraria alguém como você. Tão especial.

Sem dúvida, você é mais do que eu mereço.
Sem você nada tem graça, mas com você tudo vale a pena.
Eu quero ficar com você e ter filhos com você.
Eu quero e vou fazer!

Com você a vida é mais que sobreviver, virou o meu viver.
Com você eu quero ficar pra sempremeu amor.
A vida não dá mais volta. Ela vai sempre pra frente!

Ficar com você é como estar no paraíso,
e um dia vamos dar o nome do nosso filho,
seja de Gianluka, Gabriel ou Paulo.
Na verdade eu queria que ele se chamasse Raul, Raul Seixas, só não sei se você aceitaria.

Vai aceitar?  Com nosso filhos faríamos um álbum perfeito.
Pois é isso é o que eu quero fazer com você. Ir para Paris no Natal e tals.

Mas só se for pra sempre

Prefácio - João Carrero e Capataz

Finais felizes


quinta-feira, 5 de setembro de 2013



"Existe muito mais coisa para ser dita sobre o fracasso. Ele é muito mais interessante do que o sucesso."                                                                                                                  
                                                                                                                                  Max Beerbohm 

Brasil em sangue


O Brasil é um dos países mais violentas do mundo. E esse é um problema que enfrentamos há vários anos, e uma solução para esse impasse deve ser encontrada em caráter emergencial.
Embora o índice de criminalidade seja maior nas classes baixas, o “fenômeno da brutalidade” consegue ser extremamente democrático, alcançando também as classes altas.
Um fato marcante foi o crime premeditado do ex-goleiro Bruno, em que ele planejou o assassinato brutal da mãe de seu filho. Tal ato mostra que homens podem virar “monstros” por coisas fúteis  ( nesse caso, o dinheiro ).
A maioria da população se mostra corrompida pelo mal da violência. E esse problema começa desde a esfera politica até aqueles que se dizem apolíticos. Assim, a morte deixa de ser só morte como escreveu Marcelo Rubens Paiva, e passa a ser um evento pensado, efetuado e divulgado.

Portanto, para que a violência no Brasil diminua, é necessário ter uma luta árdua e consistente. O primeiro passo é estabilizar a educação: que é o alicerce. Em seguida, devemos valorizar as profissões que mantém a ordem ( com planos de carreiras dignos e maior reconhecimento ) e punir severamente os atos de violência.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

5 PESSOAS HORRÍVEIS PARA SER O BATMAN

Eu hein, que bom que foi o Christian Bale kkkkkkkkkk.

Só no papel


As pessoas dizem que sabem o que é prioridade. Mas assim como tudo, a vida se baseia demais em teorização e palavras que só servem para sair da boca. É uma intepretação vazia perto da incorporação.
Interpretação é a pessoa entender o que a mensagem diz, mas entendimento é tão vago como uma teoria. Não serve para nada se não for usado na prática. É claro que a prática se completa com uma teoria bem fundamentada. Todavia, de nada vale uma teoria sem a consumação.
Um exemplo básico são aqueles alunos “nota 10” que quando caem no meio profissional não conseguem fazer nada de excepcional. E a vida é assim, recheada de pessoas que só conseguem ficar no papel.
Embora existam pessoas que consigam levar as palavras literalmente ao pé da letra, ainda existem aquelas que adoram falar e não fazem nada. E é essas pessoas só sabem cobrar e não demonstram nada de esplêndido como dizem.
E como disse um dia Hamurabi: tem que ter olho por olho e dente por dente, porque senão você sofre demais, sangra demais e vive de menos.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Padre Quemedo e o Filho do capeta

Uma demonstração do conflito de padre X filho do capeta. Muito engraçado esse clássico de Hermes e Renato que foi exibido na MTV há muitos anos.

700 cursos online de graça nas melhores universidades do mundo


Galera, uma ótima chance para quem quer ter um diferencial ou fazer aquilo que realmente gosta, a Universia selecionou 700 cursos online totalmente de graça! Vale a pena conferir.


Estudar em uma das melhores universidades é um sonho de grande parte dos universitários, mas nem todos têm condições de estudar fora do país. Mas temos uma boa notícia para você: a internet torna esse sonho possível.

A Universia Brasil reuniu 700 cursos online das melhores universidades do Brasil e do mundo. Para ajudar você a encontrar o curso certo, os cursos foram divididos em 35 áreas do conhecimento, que passam por Arquitetura, Artes, Design, Engenharia, Filosofia, Linguagens e muito mais. Confira nos links abaixo os cursos oferecidos por área:

Quer ver os cursos? Então clique em: http://noticias.universia.com.br/destaque/especial/2013/07/10/1035282/700-cursos-online-gratis-das-melhores-universidades-do-mundo.html

TODOS OS CRÉDITOS PARA : UNIVERSIA

domingo, 1 de setembro de 2013

The Calling - Wherever You Will Go




TRADUÇÃO:


Por Onde Quer Que Você Vá


Ultimamente, tenho pensado
Quem estará lá para tomar o meu lugar?
Quando eu tiver ido, você precisará de amor para iluminar as sombras no seu rosto
Se uma onda enorme caísse, e caísse sobre todos nós
Então, entre a areia e as pedras, você conseguiria se virar sozinha?

Se eu pudesse, eu iria
Eu Irei aonde quer que você vá
Bem lá em cima ou lá embaixo,
Irei aonde quer que você vá

E talvez, eu descobrirei
Uma forma de trazer tudo de volta algum dia
Para observá-la, para guiá-la, através do mais escuro dos seus dias
Se uma onda enorme cair, e cair sobre todos nós
Então eu espero que haja alguém
Que possa me trazer de volta para você

Se eu pudesse, eu iria
Eu iria aonde quer que você fosse
Bem lá em cima ou lá embaixo,
Eu iria aonde quer que você fosse

Fuja com o meu coração
Fuja com a minha esperança
Fuja com o meu amor

Só agora eu sei o quanto
A minha vida e o meu amor precisam permanecer
No seu coração e na sua mente,
Eu estarei com você por todo o tempo

Se eu pudesse, então eu iria
Irei aonde quer que você vá
Bem lá em cima ou lá embaixo,
Irei aonde quer que você vá

Se eu pudesse fazer o tempo voltar
Irei aonde quer que você vá
Se eu pudesse fazer você ser minha
Irei aonde quer que você vá (2x)


CRÉDITOS: LETRAS.MUS.BR

Qual o sentido da vida?


Lá estava o garoto/homem sem face sentado no encosto do hipermercado deprimido como de praxe, procurando um único sentido nesse passar de datas. Mandou uma sms para a pessoa mais importante para ele dizendo estar no mínimo triste.

Olhou um senhor passar por ele e viu que em seu semblante tinha pena. Se sentiu enojado, porque apesar dos pesares, não queria que ninguém sentisse pena dele, estava pensando e nisso pensou na morte e o motivo dela tardar a vir, até que recebeu uma mensagem de um amigo: “Qual o sentido da vida?”.

Ficou abismado com a mensagem e pensou alto: Será destino?! Ignorou, porque o ceticismo já havia lhe dominado e não tinha como ser isso, e sim porque o mesmo amigo tinha feito essa pergunta no decorrer da aula.

Não sabia o que responder, então escreveu: “Nenhum, a vida é uma bosta”. Em seguida se lembrou de toda a dor que causou e lhe causaram. Chegou em casa, chorou, ligou para sua namorada, ela disse que o amava e chorou junto. Seus pais ficaram preocupados e quando menos viu, a vida tinha sim um sentido.

Fazer o bem para quem lhe faz bem, sem mais, não precisa salvar o mundo e sim o seu entorno. Essa é a resposta para o amigo.