sábado, 31 de agosto de 2013

Capital Inicial - Acústico Completo ( MTV )

Sabadão de noitinha. E nada melhor para quem não tem um rolê programado ouvir uma das melhores bandas brasileiras em ação. Dá-lhe Capital!

CAPÍTULO 9: VOLTA POR CIMA

LIVRO: O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA

POR REINALDO DEL TREJO



O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA. CAPÍTULO I - UM TAL DE LUCAS

CAPÍTULO 2: NÃO POSSO VIVER SEM SEU AMOR

CAPÍTULO 3: UMA VIDA COMEÇADA PELA TRAIÇÃO

CAPÍTULO 4: POR QUE ME DEIXOU?

CAPÍTULO 5: ENXUGANDO AS LÁGRIMAS

CAPÍTULO 6: BUSCANDO EXPLICAÇÕES

CAPÍTULO 7: REMEXENDO O PASSADO


CAPÍTULO 8: JOÃO E MARIA


CAPÍTULO 9: VOLTA POR CIMA


Um ano se passou desde a morte de Maria. Maicon tinha voltado aos gramados e estava em sua melhor fase. Acabava de ter jogado sua segunda final de Libertadores da América seguida, dessa vez tinha sido escolhido o melhor jogador do continente.

Lucas havia amadurecido muito nos últimos tempos, porque tinha aprendido a ser além de um filho para seu pai, um grande amigo.

A relação entre pai e filho melhorou muito. Entre muitos momentos de depressão por causa da falta de Maria e a luta para serem felizes.

Certo dia, Maicon recebeu uma proposta inusitada. De jogar no Chelsea Futebol Clube, o time preferido de seu filho. Não pensou duas vezes em aceitar a oferta. Porque para Maicon, sua estadia em Porto Alegre tinha acabado, e aquela casa não lhe dava boas lembranças.

Maicon chegou em casa e disse para Lucas. O menino ficou muito feliz e adorou a novidade. Logo em seguida, os dois começaram a encaixotar a mudança.
Demorou um pouco para que quase tudo ficasse guardado em caixas de papelão. Até que só faltaram as coisas de Maria para serem empacotadas.

Os dois entraram em um quartinho de livros de Maria e chegaram na conclusão de que deveriam doar tudo aquilo. Mas antes começaram a revirar as anotações dela.

Maicon achou um álbum de fotos de quando eles tinham ido para Londres. O rapaz desabou em choro e começou a falar os bons momentos que passaram com Maria.

Lucas achou um diário antigo. Quando abriu, logo na contracapa tinha um coração escrito João e Maria.
O menino ficou abismado e começou a folhear aquele diário. Começou a ler as mais apaixonadas declarações de amor.
Começou a estranhar que sua mãe havia largado um amor daquela intensidade para ficar com Maicon. Até que deparou com a última página do diário que continha o seguinte relato:


João, meu amor! Me desculpa. Precisei terminar com você.
Meu jogo de faz de conta com o Maicon acabou mal. Engravidei. Não que eu não quisesse ficar grávida, mas não agora e muito menos do Maicon que é um babaca.
Terminei com você, porque você merece alguém melhor que eu. Eu sou uma vadia.
Mas saiba que passei os melhores momentos da minha vida ao seu lado. Eu te amo pra sempre.



Lucas ficou enfurecido com a traição de sua mãe, mas ficou feliz ao saber que era filho biológico de Maicon, e pensou:
_Então era isso. Tudo faz sentido agora.

O pai viu que o filho estava viajando, e então perguntou:

_O que foi meu filho?

_Nada pai! Uma receita de bolo. _respondeu o garoto.

Lucas pegou aquele diário e jogou na lata de lixo. Abraçou o pai e disse:

_Pai, eu te amo! Vamos embora daqui. Tem muita sujeira nessa casa.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Ser liberto?


Ser libero do mundo é não ter ambições, medos, anseios, amores, loucuras...
Pensando bem, ser liberto deve ser um porre!

Motivação - Trabalho Duro. (Legendado.)

Um ótimo vídeo dando um tapa na cara daqueles preguiçosos, que como eu, adoram procrastinar! Chega de ser gordo! Bora fazer a vida valer a pena!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Ninguém abre mão

Dizem que a vida é boa. Porém, esqueceram de ressaltar que esse bom só está dentro da concepção limitada de mundo. Caso você olhe firme para a vida, saberá que não existe quase nada de bom nesse passar de datas: é tanta podridão que dá nojo.

Embora existam momentos razoáveis, na maioria das vezes, a vida não passa de um lugar vago e sem sentido. É de tão ruim que às vezes penso em voz alta: Será que o problema sou eu?!

Não consigo deixar as pequenas percepções passarem. Para mim, tudo que acontece tem um motivo, e as pessoas agem de uma forma calculada ( mesmo que seja no subconsciente ).

Ninguém abre mão para nada: seja um teor profissional ou até mesmo um pequeno esforço pessoal. Tudo que querem é usurpar o sentimental alheio sem moderações.

Sempre quando penso racionalmente me dá vontade de chorar e abandonar esse mundo. E o que me deixa mais chateado é saber que faço parte desses seres desprezíveis.

O que a razão não alcança: Eduardo Marinho

Um ex-burguês ( apesar de não concordar com essa maneira de chamarem as pessoas da classe alta ) mostrando que a vida é maior que os cifrões absurdos que as pessoas tanto almejam.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

O que eu faria?


Você é minha referência,
minha razão, minha estrela guia!
Sem você, como seria a minha existência?
E da minha vida, o que eu faria?!

sábado, 24 de agosto de 2013

Estacionamento de bikes no Japão

Vi uma matéria parecida no "Altas Horas" e resolvi compartilhar aqui. E fico me perguntando: quando algo assim vai chegar aqui?!

Nunca?


sexta-feira, 23 de agosto de 2013

CAPÍTULO 8: JOÃO E MARIA

LIVRO: O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA

POR REINALDO DEL TREJO



O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA. CAPÍTULO I - UM TAL DE LUCAS

CAPÍTULO 2: NÃO POSSO VIVER SEM SEU AMOR

CAPÍTULO 3: UMA VIDA COMEÇADA PELA TRAIÇÃO

CAPÍTULO 4: POR QUE ME DEIXOU?

CAPÍTULO 5: ENXUGANDO AS LÁGRIMAS

CAPÍTULO 6: BUSCANDO EXPLICAÇÕES

CAPÍTULO 7: REMEXENDO O PASSADO


CAPÍTULO 8: JOÃO E MARIA


Os dois partiram para o aeroporto e compraram uma passagem para Santo André. Maicon estava deprimido, já Lucas ansioso.

Lucas começou a pensar que João fosse seu pai e imaginou tudo que havia passado junto com Maicon e naquele momento ele estava sentindo nojo de sua mãe, mesmo ela estando morta.

Novamente, alugaram um carro e foram para o endereço. Era um bairro pobre de Santo André, um filme passou na cabeça de Maicon e lembrou-se de quando era mais novo.

Ele Estácionou o carro e antes de descer do mesmo disse para Lucas:

_Cuidado com suas palavras Lucas.

O menino sabia que seu pai lhe conhecia mais do qualquer um. Todavia, nem essa certeza ele tinha mais. Pois não sabia se Maicon era seu pai ou não.

Quando Lucas desceu do carro, sentiu um frio na barriga e a lembrança de sua mãe se despedindo veio à tona. O garoto ficou pálido e disse para o pai que iria esperar no carro.

Maicon ficou abismado com a atitude do menino. Logo Lucas que era um garoto curioso, iria deixar de conhecer alguém que era tão importante para sua mãe.

O rapaz respirou fundo e bateu palmas algumas vezes, até que apareceu uma senhora com uma aparência sofrida, como se tivesse chorado por muito tempo. Maicon na hora pensou na morte de Maria e ficou no mínimo curioso.

_O que faz aqui? _indagou a senhora.

_Sou Maicon, jogador do Grêmio...

_Eu sei quem você é. Eu quero saber o que você faz aqui. _interrompeu a velinha.

_É um assunto delicado minha senhora.

_Eu sei do que você quer falar.

_Então a senhora já sabe do falecimento de minha esposa?

A mulher ficou pálida, começou a chorar e disse:

_O quê? Maria? O que aconteceu com ela? Maria! Não... Por quê?! Deus! Por quê?!

Ela convidou Maicon para entrar e sentou-se em um sofá da cor marrom que era muito velho e começou a desabafar:

_Dizem que Deus existe. Mas se existisse ele não iria tirar a vida de tantas pessoas boas. Deus é uma invenção.

O rapaz não tinha muita crença, e naquele momento ele pensava exatamente como a velhinha, mas apesar dos pesares, estava destinado a descobrir quem é João, então disse:

_Minha senhora, preciso falar com o João.

A velhinha ficou rubra de raiva e começou a gritar:

_João?! João?! Meu filho morreu!

Maicon ficou abismado e não sabia o que fazer, ficou sem reação, mas continuou:

_Quando?

_Alguns dias atrás, ele me deixou uma carta que não tive coragem de abrir e se matou. Mas agora com o suicídio da Maria, as coisas começam a se encaixar.

_Encaixar? Como assim? _João como uma expressão de frustração.

_Eu não abri a carta. Quero que você a leia e tire suas próprias conclusões.

_Me diga sobre Maria e João. Eu tenho o direito de saber! _insistiu Maicon.

_Eles eram namorados, até que Maria te conheceu e largou do meu filho. O seu dinheiro nojento acabou com um amor lindo.

_Eu não sabia de Maria e João. Nunca soube! Para mim, João era apenas um namorado distante.

_Apenas leia e me deixe só! _ a velhinha pegou a carta e entregou para Maicon.

Maicon foi para o carro e chamou Lucas para lerem a carta juntos. O rapaz tinha certeza que aquela carta era a resposta de muita coisa.

Não importa o que estava escrito ali. Ele tinha em mente que iria se esforçar ao máximo para se lembrar apenas das coisas boas de Maria.

Lucas tomou a carta do pai e disse que iria ler em voz alta, e na carta estava escrito:


Mãe, eu não aguento mais essa vida, não dá mais. Lamento por abandonar você e minha irmã, mas está na hora de dizer adeus.
A vida virou uma lástima depois que Maria me largou para ficar com aquele jogador de futebol. Não sei se ele sabe que eu existo ou não. Mas espero que ele faça a Maria feliz.
Queria dizer para ela o tanto que eu a amo. Mas não dá mais. Hoje vou dar um fim em minha vida.
Eu te amo minha mãe! Amo muito. Não me arrependo de nada que fiz para te fazer feliz.
Sobre Maria, se um dia a ver. Diga para ela que eu a amo demais e quero que ela seja feliz com aquele filho lindo.
Mãe. Me desculpa.



Uma lágrima escorreu pelo rosto de Lucas, até que Maicon falou para a mãe de João:

_Eu nunca soube desse amor.

A senhora acenou com a cabeça e deixou os dois irem embora. Até Lucas falou para o pai:

_Mamãe se matou por causa desse cara, papai?

_Eu não sei meu filho. Acho que nunca saberemos. _respondeu o pai.





segunda-feira, 19 de agosto de 2013

CAPÍTULO 7: REMEXENDO O PASSADO

LIVRO: O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA

POR REINALDO DEL TREJO



O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA. CAPÍTULO I - UM TAL DE LUCAS

CAPÍTULO 2: NÃO POSSO VIVER SEM SEU AMOR

CAPÍTULO 3: UMA VIDA COMEÇADA PELA TRAIÇÃO

CAPÍTULO 4: POR QUE ME DEIXOU?

CAPÍTULO 5: ENXUGANDO AS LÁGRIMAS

CAPÍTULO 6: BUSCANDO EXPLICAÇÕES

CAPÍTULO 7: REMEXENDO O PASSADO


Lucas falou tudo ao pai o que Augusto havia lhe contado, Maicon caiu em choro e começou a lembrar da forma hesitante que Maria falava que o amava.

Em seguida, ligou para o diretor do Grêmio e pediu uma afastamento temporário pois queria esclarecer toda aquela história.

Maicon disse para seu filho:

_Vamos desvendar tudo isso!

A primeira coisa que Maicon fez foi ligar para um tio de Maria que morava em Araçatuba, ele ainda morava em sua antiga cidade e pediu para que tanto Maicon quanto Lucas fossem visita-lo.

A viagem de avião foi curta, até que chegaram no aeroporto, Maicon alugou um carro e foram para a casa do tio de Maria, o local onde ele morava era afastado da cidade.

Uma casa amarela com as cerquinhas brancas, lembrando um cenário estadunidense de felicidade. Logo adiante se encontrava José, o tio de Maria, ele sorriu e falou alegremente:

_Maicon, Lucas! Faz tempo que não nos vemos.

Maicon deu um abraço no velhinho e disse que precisava ter uma conversa séria com ele e era inadiável.

José lamentou o acontecido e falou que não pode ir para o enterro por causa de sua mulher que estava ruim, os convidou para entrar e Lucas logo indagou:

_Quem é João?

_Nossa, meu filho. Calma, muita calma! _respondeu o velhinho de forma hesitante, acendeu um cachimbo e colocou uma água para ferver.

Sentou-se e começou a olhar para o teto, até que resolveu falar:

_João era o namorado de Maria até ela te conhecer Maicon. Não sei dizer se ela o amava, mas eles pareciam ser extremamente felizes.

Maicon olhou abismado para o velhinho e lembrou da vez que Maria disse que João sequer tinha conhecido sua família.

Maria mentiu para Maicon. O motivo para tal mentira ainda era uma incógnita e o atleta estava disposto a desvendar tal mistério. Então ele perguntou:

_Quanto tempo eles namoraram?

_Quando Maria acabou a escola, ela foi para a USP fazer faculdade. Em seu primeiro retorno, cerca de uns vinte dias depois de sua ida, ela já falou de João.

_Isso dá desde o inicio da faculdade. Eu conheci Maria depois que ela era formada em Letras e já lecionava.

_O namoro foi longo meu caro Maicon, só posso te dizer isso.

Lucas então perguntou:

_Mamãe amava esse cara?

_Isso eu não posso te dizer. _completou o velhinho.

_Você tem o endereço dele?

José pegou um envelope antigo com um recorte de Jornal de uma entrevista de João com Galvão Bueno, nesse envelope tinha o endereço de João, mostrando que ele morava em Santo André. Maicon anotou o número do endereço e começou a pensar.

Ele sentiu algo subindo em sua cabeça, uma mescla de rancor e angustia. Várias perguntas estavam rondando em sua cabeça, mas agora ele tinha um endereço.

Despediu-se do tio de Maria e levou o filho para o carro. Lucas estava mais confuso que o pai, não sabia o que pensar. Mas ele tinha certeza que esse João era mais importante que Maria dizia ser. Então falou para o pai:

_Vamos atrás desse cara.


sexta-feira, 16 de agosto de 2013

CAPÍTULO 6: BUSCANDO EXPLICAÇÕES

LIVRO: O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA

POR REINALDO DEL TREJO



O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA. CAPÍTULO I - UM TAL DE LUCAS

CAPÍTULO 2: NÃO POSSO VIVER SEM SEU AMOR

CAPÍTULO 3: UMA VIDA COMEÇADA PELA TRAIÇÃO

CAPÍTULO 4: POR QUE ME DEIXOU?


CAPÍTULO 5: ENXUGANDO AS LÁGRIMAS


CAPÍTULO 6: BUSCANDO EXPLICAÇÕES



Naquele dia estava ocorrendo o enterro de Maria, o caixão estava fechado por causa do estado que foi encontrado o corpo, além de parentes, amigos e a mídia que queria a todo custo ver a expressão do astro do futebol, haviam pessoas estranhas que Maicon nem Lucas conheciam.

Maicon olhou para seu filho, que logo tinha entendido o que o pai queria e se aproximou de um rapaz de cerca de 1,70m, olhos verdes e extremamente branco, Lucas puxou assunto:

_Olá.

_Olá, você é o filho de Maria não é? _respondeu o rapaz calmamente.

_Como você sabe?

_Já vi você no colo de Maria ao lado de Maicon.

_E quem é você?

_Sou Augusto, era um grande amigo de Maria quando ela morava em Araçatuba. Desde que ela se mudou para São Paulo para fazer Letras, não tive mais contato. Sinto muito por sua dor.

_Como minha mãe era em Araçatuba?

O rapaz estranhou todo aquele interrogatório, mas entendeu que o garoto queria respostas para tudo aquilo que aconteceu, passou a mão na cabeça do garoto e disse:

_Sua mãe sempre foi a mais inteligente do nosso grupo, adorava ler e escrever, tinha um talento incrível, além de ser muito gente boa. Era uma excelente pessoa.

_Ela tinha alguma tendência suicida? _perguntou enfático o garoto.

_Tendência suicida? Que isso garoto?

_Tinha ou não. _insistiu o jovem.

_Claro que não. Sua mãe sempre foi uma garota incrível e paciente. Eu era apaixonada por ela na época, mas ela nunca me deu moral, até conhecer um tal de João...

_João? Quem é esse?

_Quando ela se mudou para São Paulo, ela se sentia muito sozinha e sempre trocávamos telefonemas, até que sua mãe comentou que havia se apaixonado por esse cara, depois disso eu nunca mais falei com ela. Isso é tudo que sei.

Lucas ficou interessado pela informação e logo foi conversar com seu pai, o pai disse que não tinha conseguido nenhuma informação relevante, apenas amigos de faculdade e de Araçatuba, nada demais.

Eles entraram no carro e foram para casa, chegando lá Lucas perguntou:

_Pai, quem era João?

_Um ex da Maria, mas ela sempre disse que nunca havia gostado dele de verdade, por que meu filho?

_Nunca é? Acho que deveríamos saber quem é esse João.


quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Tripas do padre

Os homens só serão realmente livres quando o último rei for enforcado nas tripas do último padre. ( Diderot )


Bom, galera. Tava estudando e vi essa frase, achei ela excelente ( não sei se pelo caso de eu ser ateu ou algo do tipo ), mas depois comecei a analisá-la friamente e percebi que eu gostei dela não somente por essa pequena ofensa a religião.

Primeiramente, devemos olhar que Diderot não quis falar ao pé da letra, apesar de na época o mundo europeu ser tomado por absolutistas e católicos. Todavia, se analisarmos friamente, podemos olhar que rei é toda e qualquer autoridade política e padre é a repressão religiosa.

Agora, olhando de forma mais minuciosa, a frase poderia ser: “Os homens só serão realmente livres quando tiverem liberdade de escolha e não forem repreendidos por nenhuma obrigação divina”.

Eu acredito nessa frase, sei que sofro dos maus políticos e até mesmo de “verdades religiosas”, mas pensando um pouco em Marx e sua utopia de comunismo ( e tudo vai pro público ), eu queria que o mundo fosse assim, mais belo e menos repreendido. Todavia, sei que nunca vou ver isso.

No mais, ótima frase e é melhor ainda para postar no face e afrontar alguns religiosos haha. ( Desculpa, se alguém se sentiu ofendido – aceito retaliação nos comentários ).


Pense mais em você


Você luta, se mata, tenta fazer com que as pessoas deem valor em você. Mas tudo em vão e você vai percebendo que a vida como é como os mais pessimistas disseram: Pense apenas em você. Porque senão, ninguém o fará.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Segunda-Feira chegou!

Olá galera do Blog Mente Aberta, venho hoje para um motivo excepcional, na verdade, venho para dar uma mensagem de bela Segunda-Feira e que vocês levem essa semana de forma primordial e que sorriam, porque o que importa nessa vida é sorrir.

Várias pessoas já me disseram que nunca escrevi um texto que fosse positivo ( exceto os de amor ), e peguei para escrever e não sabia bem o que contar. Então nessa madrugada de Segunda resolvi dar um alô pro pessoal e desejar uma boa semana.

Sei que o Blog tá perdendo a força e talvez nem tenha mais tantos leitores diários. Mas enfim, espero que esse aspecto mude e que o Blog volte a estar firme. Enfim, ótima segunda e boa semana pessoal! Ao alto e avante!



quarta-feira, 7 de agosto de 2013

CAPÍTULO 5: ENXUGANDO AS LÁGRIMAS

LIVRO: O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA

POR REINALDO DEL TREJO



O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA. CAPÍTULO I - UM TAL DE LUCAS

CAPÍTULO 2: NÃO POSSO VIVER SEM SEU AMOR

CAPÍTULO 3: UMA VIDA COMEÇADA PELA TRAIÇÃO

CAPÍTULO 4: POR QUE ME DEIXOU?


CAPÍTULO 5: ENXUGANDO AS LÁGRIMAS


Maicon amava Maria com todas as forças e perde-la não era algo que estava em seus planos, para o jogador de futebol, era mais fácil morrer do que enfrentar a dor de viver sem Maria.

Outro problema seria cuidar de seu amado filho sem o apoio de sua mãe. Apesar de Maicon adorar crianças e amar muito seu filho, ele não tinha a menor ideia de como ensinar Lucas a ser um grande homem.

A dor era recente para Maicon. Sua vida estava passando por sua cabeça, desde quando seu pai lhe ensinou a jogar bola até quando conheceu Maria em uma festa qualquer.

Depois de todas essas passagens em sua cabeça, pegou o primeiro avião e voltou para Porto Alegre, estava decidido a abandonar a carreira de jogador de futebol e cuidar de seu filho até ele alcançar sua maioridade.

Maicon pediu para que um funcionário do Grêmio tomasse conta de Lucas. Durante a viagem para voltar para Porto Alegre, inúmeras passagens da vida deles passaram em sua cabeça, mas Maicon não fazia a menor ideia de que ela tinha se suicidado por causa de João.

Lucas estava muito confuso com tudo que estava acontecendo. Achou tudo muito estranho e lembrou-se da ligação que sua mãe tinha recebido e pensou que algo de grave poderia ter acontecido.

Morte de pais não poderia ser, já que os seus avós haviam falecido há muitos anos em um acidente de carro.

Em seguida, Lucas sentou-se ao lado de uma janela e ligou o rádio e colocou uma música do Raul Seixas, chamada Canto para minha Morte, em um trecho dela, ela dizia:



Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar



Lucas começou a pensar que apesar da morte ser um evento inevitável, da maneira que aconteceu com sua mãe não. Ninguém se suicida sem um motivo, ainda mais sua mãe que era inteligente e tinha acabado de receber um convite para escrever uma coluna em nível nacional, ela amava seu filho e seu marido estava no ápice de sua carreira.

Em seguida, o menino que por atitudes já era homem, limpou o rosto e começou a analisar os casos e apesar da depressão pós morte, era hora de saber o que havia acontecido.

Quando seu pai chegou em casa, caindo em choro, deu um abraço no menino e disse:

_Vai dar tudo certo meu filho, papai vai cuidar de você.

O menino sorriu e disse:

_Vamos descobrir o que levou a mamãe a cometer esse ato.

O pai achou estranho a atitude do garoto, mas concordou, porque além da dor ele queria explicações, afinal, por quê Maria se matou?


Em estado de putrefação


Palavras ferem mais que tiros. Sangram mais que hemorragia e fazem sofrer mais do que shinigamis. Existem pessoas que gostam de deferir palavras achando que não existe consequência.

Mal sabem que essa é a forma mais truculenta de aterrorizar uma pessoa. Palavras.O dom de ferir sem arrancar pedaço e a maldição de deixar marcas invisíveis e irreversíveis . Mas para quem sente, é como um ferro enfiado a brasa no peito.

Dói. Dói demais ser multilado por alguém que você queria ser reconhecido. E dói saber que essa é ou era uma pessoa que você sempre havia se inspirado. Talvez isso sirva para mostrar que não existe ninguém para ser enaltecido. Porque todos são seres humanos; cada um mais podre que o outro.


sábado, 3 de agosto de 2013

CAPÍTULO 4: POR QUE ME DEIXOU?

LIVRO: O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA

POR REINALDO DEL TREJO



O MISTÉRIO DO SUICÍDIO DE MARIA. CAPÍTULO I - UM TAL DE LUCAS

CAPÍTULO 2: NÃO POSSO VIVER SEM SEU AMOR

CAPÍTULO 3: UMA VIDA COMEÇADA PELA TRAIÇÃO

CAPÍTULO 4: POR QUE ME DEIXOU?


Lucas ficou sozinho em casa depois que sua mãe se suicidou, ele ainda não sabia de nada e resolveu ler um livro, pegou de sua instante o livro Onze Minutos de Paulo Coelho.

Ele tinha um dom de leitura fantástico, era um gênio por sua idade, com nove anos, ele tinha lido os mais diversos clássicos, indo de Machado de Assis até Clarice Lispector. Porém, ele gostava da leitura mais dinâmica e fácil, que era a de Paulo Coelho.

Além disso, ele adorava Raul Seixas, que por ironia do destino era mentor de Paulo Coelho. No livro Onze Minutos, Lucas leu a história da prostituta Maria, que por ironia do destino tinha exatamente o nome de sua mãe.

Lucas achou o livro bom, porém criticou Maria em sua cabeça e achou a prostituição uma forma nojenta de ganhar dinheiro, pois ela usou o corpo para conseguir algo e não fez bem algum para a sociedade.

Depois de fazer a leitura critica, o garoto adormeceu e teve um sonho estranho. Nesse sonho sua mãe aparecia e lhe dizia que o amava muito e que agora ele deveria cuidar de seu pai.

Ele acordou assustado e se levantou, ligou para sua mãe e o celular só dava caixa postal, Então Lucas ligou para seu pai, ele estava bêbado por comemorar a conquista da Libertadores, mas mesmo assim atendeu seu filho:

_É campeão meu filho! Papai meteu dois gols!

_Pai, preciso falar sério com você, mamãe saiu de casa e eu tive um sonho estranho.

_Relaxa meu filho, ela deve ter ido resolver algo com a mãe dela ou coisa do tipo, amanhã a gente se fala! Te amo. _ respondeu o pai de forma gaguejante.

Maicon tinha acabado de falar com seu filho, até que recebeu uma ligação do hospital de Porto Alegre, o doutor Jorge Amado disse que precisava falar urgentemente com ele.

O atleta não tinha condições, e ainda estava na Argentina, pensou que não era nada demais e dormiu no hotel em Buenos Aires. No outro dia, com ressaca, ele acordou ao meio dia e viu mais de cinquenta chamadas não atendidas.

Em seguida, ele achou que a ligação do médico era um sonho e ligou para Lucas, o jovem atendeu a ligação aos prantos, chorando muito, Maicon queria saber o que tinha acontecido, mas a única coisa que Lucas disse foi:

_Mamãe se despediu, e ontem no meu sonho ela pediu para eu cuidar de você. Ela morreu pai! Ela morreu!

A pupila de Maicon dilatou, seu coração disparou, um monte de lembranças veio em sua cabeça, o celular caiu no chão se espatifando, lágrimas escorreram de seu rosto e ele disse:

_Meu amor, por que me deixou?