terça-feira, 25 de junho de 2013

Fiquei no rascunho


As pessoas cobram coisas que não sei se posso suprir. Como uma escolha de curso, opinião formada e afins. Tenho medo de não ser nada na vida, de girar, girar e ficar apenas no rascunho. Sou apenas um excêntrico buscando explicações plausíveis para minha vaga existência.

Lembro o orgulho de meus pais ao conseguir uma bolsa para Veterinária, a satisfação ao verem como passei bem por um ano de estudos. A vida seguiu, mudei de curso e novamente com bolsa. Porém, agora tenho planos gananciosos, mas acho que não os suprirei, porque eu nasci para ficar no rascunho.

Sim, eu nasci para rodar e não sair do lugar! Não passo de um vazio sem nada a acrescentar. Porque de nada adianta ter capacidade e não colocá-las em prática. Pois bem, tenho inteligência e facilidade de assimilação. Mas apenas isso, nunca vou passar do provável. Uma reles estatística.

Sou como uma promessa do futebol que não consegue ir além das possibilidades. Sou um vago que nunca andará para frente. Não deposite suas fichas em mim. Não deposite nada, porque não passo de uma porcaria inútil.

Nunca vou ser lembrado. Nunca vou ser enaltecido. Nunca vou ajudar ninguém. O mais irônico é que tenho capacidade. Mas o que eu mais queria, era ser um babaca igual a maioria e assim poder ser feliz.

Porque nem esse direito eu tenho, na verdade, às vezes parece que só tenho essa porra de inteligência para sofrer. Sendo que não a uso nem para ganhar dinheiro, tampouco para ajudar as pessoas.

Esse é meu paradoxo, minha maldição.


Nenhum comentário: