terça-feira, 4 de junho de 2013

24 horas por dia



Queria que pensasse em mim sempre, mas não posso cobrar isso,
pensei que poderia ser capaz de suprir sua necessidade.
Mas às vezes acho que não passe de um ralo compromisso.
Ou como dizem os velhos, é coisa da idade.

Sonhei com o amor irrepreensível,
com a vida perfeita e irretocável.
Mas o que me sobrou foi um desejo impossível,
aquele que não tem nada de maleável.

Falar que é da maneira que eu sonhei,
não passaria de uma mera falácia.
Sou feliz, mas ainda não sei o que farei,
pois eu queria aproveitar o amor de forma máxima.

Sei que te amo, amarei e em ti eu penso.
Todavia, não é da maneira que eu queria,
queria que fosse algo mais intenso.
Mais ou menos, vinte e quatro horas por dia.


Nenhum comentário: