sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Arrisque

A vida é um grande jogo, cheio de confusões e conflitos, esse passar de tempos é tão complexo que até hoje a melhor definição que já vi foi a da Biologia que destaca que um animal ( somos animais também ) têm como objetivo nascer, crescer, reproduzir e morrer.

Parece uma grande vulgaridade, mas no fim esse é o objetivo de todos nós, nascemos, crescemos intelectualmente, psicologicamente e fisicamente, depois queremos constituir uma família, ganhar estabilidade emocional e, é claro, procriar nossos genes. E depois de fazer a roda da vida girar, enfim chega a hora de morrer e servir de adubo para outros seres.

Falando dessa forma, parece que a vida não tem um grande sentido, só que se olhar friamente, esse é o grande destino da maioria da população contemporânea. Queremos crescer como pessoas e profissionais até certo ponto, depois aproveitamos a vida e olha só, fim.

Só que dentro de todo esse contexto existem decepções, frustrações, sonhos inacabados, desejos recortados, enfim, muita coisa girando sobre nossas mentes nebulosas. É tanta pressão social e pessoal, que se não cuidarmos bem da nossa mente, acabamos chegando na loucura total.

O grande problema da vida é que ela não vem com um manual de instrução, e não sabemos nunca quando devemos ou não arriscar, e acabamos mergulhando em um paradigma, que fica entre tentar dar um grande pulo e correr o risco de se estrepar ou então ficar acomodado com algo que demora, mas é quase certo.

É muito difícil destacar o que realmente fazer, o certo que cada pessoa tem uma maneira de levar a vida, alguns aceitam o que o “destino” lhe proporciona e conseguem ser felizes fazendo várias coisas que um dia julgaram que não fariam, já outras ficam amarguradas com a pressão que o mundo impõe e não conseguem andar para lugar nenhum e existem aqueles que são os desenhistas de seus passos, que não se arrependem de nada que fazem e olham sempre para frente.

Seria muito fácil ficar estacionado em seu comodismo barato e não progredir em sua vida, muitas pessoas têm medo de arriscar e preferem ficar em seus mundos comuns, sem um gosto exaltado. Mas se você, eu, todos não resolverem arriscar em um certo momento de nossas vidas, nunca saberemos se erraríamos ou não.

As pessoas ficam muito preocupadas em ter definições perfeitas, como o que é o amor? Qual o emprego perfeito? Como devo me portar? E começam a criar mundos paralelos com a realidade, buscando uma perfeição que não existe.

Ninguém vai saber dizer o que é o amor, qualquer que seja a definição será rala para o sentimento que bate nas nossas entranhas, não dá para definir isso, não existe Luis de Camões com suas palavras belas, tão pouco Paulo Coelho com suas definições expressas que consigam sacramentar o que é o amor. Amor é algo que vai muito além da superficialidade de palavras, que não passam de tintas sobre tintas. Sentir vai muito além de definir.

Emprego perfeito? Ta ai outro grande erro das pessoas, antes de entrar na faculdade todo mundo acha que haverá um curso que irá suprir todas as suas necessidades intelectuais e pessoais, olha, espero não te deixar triste, mas não existe curso algum que irá definir toda seu estilo. Uma pessoa que gosta de humanas terá um desejo de aprender biológicas, e uma pessoa que gosta de exatas pode amar a leitura, ué, qual o problema?

Antes de fazermos alguma coisa, acabamos nos idealizando, pensando no futuro, querendo deixar o momento perfeito e inesquecível. Isso é um grande erro, porque não existe nada mais lindo do que ser natural e expressar seus sentimentos e pensamentos na hora que eles devem ser ressaltados. A vida não tem nenhum roteiro para ser seguido, cada momento é único e deve ser aproveitado como tal.

Antes de fazer qualquer coisa, é necessário arriscar, tentar dar um passo para frente sem ter medo de errar, porque todos erram, e errar faz parte do cotidiano. Mas agora se você quer ficar atolado em um mundo de duvidas e remorsos, infelizmente só lhe sobrará indiferença e consecutivamente a sombria solidão.

Arrisque, lute, erre, sofra de vez em quando, ganhe algumas vezes, perca igualmente, faça essa vida valer a pena, porque é muito curta e quando menos percebemos, estaremos com 45 anos sentados em um sofá nos imaginando com 20 anos. Só não se arrependa de seus erros, aprenda com eles e novamente, arrisque.


2 comentários:

Caroline Luft disse...

Lendo o teu texto notei como facilmente as pessoas jogam suas vidas no lixo, mas o assustador é que nem mesmo percebem.

reinaldo del trejo disse...

É complicado, muitas vezes deixamos de fazer várias coisas por medo e receio...
E muitas vezes deixamos para depois, e esse depois pode nunca chegar.
Temos que aproveitar nossas vidas da melhor maneira o possível, e com certeza não é procrastinando que chegaremos em algum lugar.