sábado, 22 de dezembro de 2012

E foi no acaso


E em alguns momentos, nos acordamos pensando que em um dia por acaso podemos conhecer alguém que nos balance.

Longe? Nem tanto,mas não é do “lado do bairro” como um dia um certo alguém disse.

Talvez o amanhã não seja tão forte como o hoje, mas se o sentimento continuar em franca expansão como está, dificilmente morrerá na praia.

Um salve para o acaso por me propiciar tal vivencia, um salve para a pessoa que recebe essa indireta por ter esbarrado no meu caminho, um salve para a felicidade que está a um passo de nossos pés, que não precisam mais andar em linhas tortas, pois os tracejados tênues estão de encontro.

É difícil falar, é difícil descrever, mas é mais ou menos assim.


Nenhum comentário: