sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Coloque na prática

Planos, planos e mais planos. A vida dele foi rodeada de teorias mal feitas, ideais que não puderam ser erguidos na prática. Uma vida sem um alicerce capaz de se manter estável.

Mundo teorizado e desestabilizado, o humor vagante, radiado por um monte de nada. Visões futuristas que se encaixam em uma esperança que é cega, muda e surda. A crença no ser humano supera qualquer rito ou divindade, e é nisso que ele se perde, porque confia, acreditando que existem corações puros.

Mas no fim, seus anseios podem ser verdadeiros, porque bem no fim do túnel pode existir alguém que ele possa confiar, talvez tenha encontrado esse alguém no meio de uma imensidão que vai do Oiapoque ao Chui, mas não estava tão longe assim, estava perto o suficiente da sua faculdade, da cidade que ele passou grande parte do passar de datas.

Agora tudo parece se confundir, não sabe mais o que vai fazer da vida, não sabe nem ao menos o que pensar, uma explosão de sentimentos rondam a cabeça complexa desse jovem, mas o acaso parece enfim ter lhe ajudado em algo.

A vida lhe ensinou que planejar não é algo assim tão aceitável, já que tudo que é colocado no papel muitas vezes não é concluído na prática, e isso é um pouco quanto intragável. Mas ao mesmo tempo límpido, puro, bom.

Merda, essa é a definição mais “gentil” que ele encontrou para a vida durante muito tempo, mas enfim ela que era temida pode estar sendo alinhada, depois de anos, minutos, horas. Algumas coisas mudam a vida, como um sorriso ou um simples olhar.

Dizem que o olhar é o vetor do coração, e que não importa o quão minucioso seja o transportador de palavras, não existe palavra errante que esconde um coração que palpita.

Agora pergunta para esse garoto/rapaz/homem o que ele acha de todos esses mistérios e confusões que a vida está lhe proporcionando. Talvez ele dê de ombros e mande você ir para a puta que o pariu ou quem sabe ele tente te explicar, mas não dá para teorizar, porque no fim, bem no fim, ele, eu e você sabemos que a vida é muito curta para ficarmos teorizando, e o que realmente importa é colocar na prática.


2 comentários:

Caroline Luft disse...

Fazia tempo que não vinha aqui e também fazia tempo que não escrevia... texto incrível, até achei coisas em comum com o último que escrevi (ou talvez só no meu pensamento mesmo).

B. disse...

Creio que hoje em dia, as palavras são ditas com tanta facilidade e em muitos momentos não temos a intenção de coloca-las em prática, apenas falamos por falar. Mas não deve ser assim. Deve-se dizer o que é necessário e lutar para realizar o que foi dito. Como você disse, quando planejamos demais, tudo sai do eixos, pois o ser humano não é assim tão dono da sua vida e do mundo, como pensa.
Gostei das reflexões Del Trejo *-*