quarta-feira, 14 de novembro de 2012

São sete e meia da manhã


São 7 e meia da manhã
Já não é mais novidade, eu perdi o busão de novo.
Mas a verdade é que eu tava deitado na cama,
Sem vontade de acordar, abraçando meu belo travesseiro.

Nem banho deu tempo de tomar, tão pouco café.
E no caminho para o ponto me bateu uma preguiça.
É só mais um motivo para eu me atrasar,
Entrar em desespero, lembrar que faltei semana passada.

O coração no peito bate acelerado.
Pedindo socorro, tá desesperado.
Eu sinto medo de voltar pra casa,
Pai, você precisa me levar para a faculdade.

Me diz moleque: “Porque você não acorda logo’?
Vamos logo Pai, já passou a hora da aula começar.
Confesso, tenho medo de pegar exame em Microbiologia.
Eu tirei 5,5 no primeiro bimestre, foda é recuperar com duas aulas ausente.

Se eu pudesse, iria voando para aula.
Daria mil motivos para o professor me ajudar a passar.
Que eu ainda tenho salvação, e meu grande engano.
Foi dormir demais.

Por Reinaldo Del Trejo.


2 comentários:

B. disse...

Força Del Trejo! Não só ao longo da graduação, mas também ao longo da vida, existem altos e baixos. O importante é ressignificar esses 'baixos'.

Cayo Nauan Siqueira disse...

muito bom teu blog... não só o post em si mas tudo!! quer fazer parceria? http://eufilhodamaeoficial.blogspot.com.br