quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Seja você o seu herói


Estavam esperando um salvador da pátria, fizeram com que eu ficasse junto e aguardasse esse ser inimaginável, ele era belo, forte, idealista, esqueceram de dizer que não passava de um sonho idealizado e superficial.

Um herói? Pra que precisamos de um? Porque queremos nos fazer de vítimas, de derrotados, de esmigalhados. O ser humano gosta de se diminuir, de se jogar na escuridão, gosta de se humilhar.

“Precisa-se de um herói”, essa é a frase clichê que quase todo mundo usa, porque a maioria dos seres humanos não querem assumir que estão onde estão por sua culpa. Poucas pessoas assumem seus erros, suas falhas, e preferem viver “despreocupadas” esperando um salvador da pátria, esquecendo que cada um tem suas batalhas diárias, seus medos e anseios.

Se não conseguirmos colocar um rumo em nossas vidas, quem colocará? O homem aranha? Ou quem sabe o Chuck Norris? Porque parece que existem pessoas que estão só na espera de seu herói para começar realmente a viver. Esses são os coitadistas.

Infelizmente nossa sociedade está repleta de coitadistas, que segundo Augusto Cury no livro “O Código da Inteligência” é a maneira que o ser humano encontrou de se auto desprezar, de se sentir derrotado e incapaz.

E ai que está o problema, já que muitas pessoas fazem de suas vidas um grande drama, como se nada acontecesse conforme o planejado, como se existisse um mundo conspirador contra suas vidas. E acabam se esquecendo que é cada um que traça o seu caminho, sendo em andares tortuosos ou corretos, cada pessoa é responsável por sua vida.

Ninguém é merecedor de pena, sendo que a pena é uma maneira disfarçada de menosprezar o ser humano, cada um tem seus limites, seus potenciais. E esse quesito deve ser respeitado, assim como cada particularidade.

Quando você acordar, diga, “eu sou um vencedor, eu posso fazer coisas boas, a minha força de vontade e luta dependem exclusivamente de mim, mais de ninguém, eu não sou mais um coitadista”.

Levante-se da cama e vai viver, chega de lamentações, chega de esperar um herói, porque o único que pode ser herói da sua história é você.


2 comentários:

Caroline Luft disse...

Esse texto me lembrou um outro que meu professor de matemática escreveu no blog dele (professor de matemática e um ótimo escritor, é uma combinação meio inacreditável, não é?), então KPOASK ele falava sobre planejamentos que temos, o quanto nos preocupamos com planos tão futuros e a diferença que faríamos se ao acordar estabelecêssemos metas como "hoje vou ser feliz, hoje vou ajudar alguém" e nesses detalhes ir construindo a verdadeira felicidade.

B. disse...

Bom, digo que concordo em partes com o que relatou. Eu já fui uma coitadista e percebi isso a tempo, de começar a mudar, embora ainda tenha muito o que ser feito. O fato é que nem tudo está sob nosso controle, nem tudo depende só da gente, até porque existe a nossa relação com o outro e a partir do momento que as nossas escolhas envolvem alguém alheio, não depende exclusivamente de nós. Mas é certo, que se ficarmos lamentando o tempo inteiro, esquecemos de viver. Contudo, também é fato que todo ser humano, em um instante de 'crise', pensa que o mundo conspira contra ele, pois todos os problemas anteriores vêm a tona novamente. Enfim, este é um assunto muito ambíguo e complexo, mas interessante. Gostei da sua abordagem (como sempre), Del Trejo.