sábado, 13 de outubro de 2012

Que o eleitor brasileiro é idiota. É coisa que eu me nego afirmar

Domingo, dia 07 de outubro foi um dia importantíssimo para a democracia de nosso país, foi uma data em que escolhemos os vereadores, que são aqueles que tem como função fiscalizar o trabalho do prefeito em relação a administração e gastos, trabalhar pela melhoria da cidade, elaborando leis, atendendo a população, além de votar na câmara para aceitar ou negar novas leis.

Infelizmente, nosso país sofre com uma síndrome estúpida, que aumentou gradativamente com a eleição do deputado federal Tiririca. É uma síndrome idiota, em que os eleitores votam em candidatos despreparados e sem um teor intelectual capaz de lutar por uma cidade, tão pouco para elaborar leis em prol do município.

Esses votos são denominados votos de protestos. Protesto? Colocar um cara que vai ficar ao menos quatro anos em um cargo tão importante pode ser considerado um protesto? Creio que não, isso está mais para uma idiotice, uma babaquice.

Certa vez me disseram: “Um país corrupto elege políticos corruptos”, mas infelizmente no Brasil, acho que grande porcentagem não pode nem ser julgada como corrupta, e sim como idiotas, incapazes de compreender que o país não vai pra frente com atos tão medíocres.

Uma música do Raul Seixas ficou marcada na minha cabeça, e dizia: “Que o mel é doce. É coisa que eu me nego afirmar. Mas que parece doce, isso eu afirmo plenamente”. E essa frase transparece muita coisa em relação à essa questão.

Raul, eu me sinto no direito de refazer sua frase em : “Que o eleitor brasileiro é idiota. É coisa que eu me nego afirmar. Mas que parece idiota, isso eu afirmo plenamente”.

Mas como dizem, o Brasil é um país de todos, de todos os despreparados, de todos os bárbaros, de todos os incompetentes, de todos os corruptos, de todos os omissos.

A pergunta que não quer calar: “Até quando Brasil?”


Nenhum comentário: