quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Eu queria

Hoje eu queria só deitar e não sentir obrigação nenhuma sob minhas costas, gostaria de poder descansar, olhar para as estrelas, não me importar em que hora eu vá dormir, não custar em agradar ninguém.

Eu queria andar descalço sobre a areia, sentir o vento crepuscular batendo a minha nuca, olhar para o sol laranja-vermelho, sorrir com aquilo, me impressionar com o horizonte avante de minha retina, relaxar um pouco, esquecer todos os impasses, dores, anseios, paixões, felicidades.

Não me importaria em ficar só por várias horas, queria poder desfrutar do meu eu, sem ter que atender celular ou até mesmo responder mensagens, eu queria ficar comigo sem ninguém exercer pressão, eu queria poder me amar.

Queria ficar comigo sem sofrer, não me importar com trabalhos, cobranças, estresse. Queria poder viver o meu eu, admirar as minhas imperfeições, olhar na minha alma, sorrir ao poder sofrer, e melhor, não precisar me esforçar para ser alguém que eu não seja.

Mas ao contrário de viver o meu eu, estou cheio de pressões e defeitos imperdoáveis, não me culpo por nada, na verdade, até que eu adoro uma bela pressão e uma agenda lotada. Todavia eu sei que isso irá passar, e o que eu farei com todo esse emaranhado de sentimentos?

Engavetarei?


2 comentários:

Garota Mania disse...

é agente gosta de agenda cheia, mas as vezes é bom saber a hora de descansar um pouco

B. disse...

Lembra quando você me falou que estava escrevendo diariamente mas que não sentia que o texto estava phoda? Pois bem, te digo que quando li este, lembrei muito dos seus primeiros, com intensidade, emoção e porra, ficou PHODA! Curti muito Del Trejo.