quarta-feira, 18 de julho de 2012

Raul Maluco Seixas

Se teve um artista que conseguiu contornar a ditadura militar, esse foi o roqueiro Raul Seixas, que conseguia criticar camufladamente o governo e suas repressões.

Sua maneira inteligente e “maluca” de escrever suas letras, levaram muitos a acreditar que ele era somente mais um drogado no meio de muitos (ele nunca disse que não se drogava, só que isso não o impediu de ter sido um dos maiores críticos que nossa pátria viu). Mas sua maneira única de criticar era muitas vezes desprezada, e ele fazia de forma primordial o seu trabalho contra a repressão do governo.

“Sociedade Alternativa” é uma das músicas que mais mostram como o governo reprimia as pessoas. No trecho “ Você está dentro da sociedade alternativa, ou a sociedade alternativa está dentro de você”. Mostra exatamente como eram os tempos da ditadura militar, onde você aceitava que era obrigado a seguir o que o governo lhe mandasse, ou você achava que não, só que mesmo assim, você era obrigado a seguir, ou simplesmente morria ou era “convidado” a mudar de opinião.

Foi uma das épocas mais complicadas que nosso país passou, e graças a pessoas que lutaram contra essa opressão como Raul, aos poucos o regime foi enfraquecendo, até seu fim.

Afinal, quem foi Raul Seixas?

Raul nasceu em 28 de junho de 1945 em Salvador, Bahia. Desde sempre, Raul tinha duas ideias, gostaria de ser escritor ou cantor.

Até que em meados de 1955, Raul já havia decidido que seu gosto era para o Rock, e começou a escrever diversas letras, e aos 10 anos já tocava violão.

Em 1962, junto com alguns amigos, formou o grupo “Raulzito e os Panteras”, essa banda já mostrava um bom som e já era reconhecido em toda a Salvador.

Até que em 1968, já casado, se mudou para o Rio de Janeiro, a banda já não existia e Raul estava em carreira solo. Em seu primeiro LP, um verdadeiro fracasso, ele se levantou e começou a enviar suas letras para diversas bandas, que aceitaram sua proposta inovadora.

Em 1970, Raul conseguiu assinar um contrato com a CBS de músico e produtor, ele adorava procurar novos talentos.

Dois anos passados, Raul leu um artigo sobre discos voadores e resolveu conhecer o autor daquele inusitado texto, e era nada mais nada menos que um dos maiores escritores de todos os tempos, Paulo Coelho.

A partir daí, Raul e Paulo viraram grandes amigos e como dizia meu pai ( fumavam maconha e cheiravam cocaína juntos).

Seu primeiro disco de ouro veio em uma parceria com seu grande amigo, o álbum Gita.

A partir desse disco, Raul acumulou milhões de fãs, e de disco em disco, canção em canção. Ele era tratado como um rei, e era um rei maluco, fora do comum, doido de pedra mesmo.

Seu ultimo disco foi a “Panela do Diabo”, em 1989, sendo que ele foi lançado um dia depois de sua morte. Raul morreu no dia 21 de agosto de 1989.

Sua morte foi causada por uma parada cardíaca, sendo que o álcool agravou o seu quadro, lembrando que o fato de ele não ter tomado insulina no dia anterior pode ter ajudado a complicar sua saúde.

A “Panela do Diabo” teve 150 mil vendas. Um número assombroso mesmo para Raul.

Raul ficou eternizado na história por seu estilo irreverente, inteligência descomunal e uma maneira muito doida de criticar as coisas.

“Criticar com palavras bonitinhas é fácil, quero ver criticar de forma inteligente e fora do comum”.

Sou fã do Raul, e só digo uma coisa...”Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo...”

8 comentários:

Lucas Adonai disse...

HAHAHA PARE O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!

Aline Diedrich disse...

Toca Raul! ehehehehe... Foi um artista completo, crítico, enfim, um exemplo que deveria ser seguido pelos novos músicos...

Garota Mania disse...

Realmente Aline se os músicos de hoje tivessem como inspiração lendas como Raul a música não estaria onde hoje se encontra.
http://virersemlimites.blogspot.com.br/
http://blogstyledrops.blogspot.com.br/

Adriano Ferreira, CM disse...

raul, genio. rock brasileiro em essencia...

Fernanda disse...

sucesso com o blog! :)

Desejos de Sábado disse...

O homem, o mito.

Abraços,
Gabriel
http://desejosdesabado.blogspot.com.br/

Lucas Adonai disse...

MUITO BOM! TOOOOCA RAUL.

B. disse...

Acho que vc conseguiu 'ver' o Raul, além de cantor e sim, como ser humano. Gosto das músicas dele, mas confesso que sabia muito pouco sobre sua vida. E depois desse post, sabendo mais sobre sua incrível e difícil luta contra a ditadura, há de se admirar incondicionalmente, esse grande homem. Bela homenagem, Del Trejo.