terça-feira, 8 de maio de 2012

O dia em que eu não conferi o troco

Hoje quando subi no ônibus depois de uma prova de bioquímica, pela qual eu fui bem (sério, eu fui bem em bioquímica, o que será que ta acontecendo comigo ? Eu não sei) , enfim, quando embarquei no busão, vi um senhor de cerca de uns 50 anos contando as moedas do troco pela qual a simpática cobradora havia lhe entregado, o velhinho contou, recontou e contou novamente, meio que duvidando da honestidade da moça.
Depois que ele passou pela catraca, peguei e dei uma nota de 5 reais e passei para a cobradora, e lá veio ela com um monte de moedas para o meu lado, odeio moedas, porque sempre perco tudo, mas as peguei e as enfiei todas no bolso, e fui me sentar.
Quando me sentei no banco, coloquei meu fone de ouvido, e passei a escutar a minha banda preferida que é Nickelback, já ouvi tantas vezes o álbum Dark Horse que acho que já sei todas as músicas décor, mas nunca, nunca me arriscarei a cantar em inglês.
Comecei a analisar a atitude do velhinho em duvidar arduamente de uma pessoa que ele simplesmente não conhece, e passei a me sentir mal.
Mal no sentido de nojo mesmo... Não pela atitude do velho, longe disso, talvez ele tenha feito isso pelo fato de já ter perdido uma boa grana em trocos ou coisa do tipo (espero que seja realmente isso).
Porque, caso ele não tenha feito essa atitude com esse objetivo, o outro lado é que eu realmente enojo, que é a falta de confiança das pessoas para com um outro semelhante.
Sim, muitas pessoas simplesmente não confiam em outras, duvidam, questionam, não creem mais no ser humano.
Nesse mundo de desconfiança fica uma coisa ruim no ar, como se ninguém pudesse realmente confiar no outro, como se tivéssemos que duvidar de todo mundo, e fico tão triste nesse tipo de situação, nessa falta de sentimentos, carinho, de amor, de tudo.
Porra, sou um filho da puta arrogante, sei disso, só que eu ainda creio nas pessoas, creio no ser humano, acho que tudo tem saída ainda.
Mesmo nesse mundo de sangria, de hipocrisia, onde parece que cada um quer comer o olho do outro, ainda acredito que as pessoas podem fazer as coisas por amor, sem querer algo em troca.
Essa minha atitude pode parecer vulnerabilidade, mas foda-se, ainda acredito no ser humano e vou acreditar. Quando eu não ter mais esse direito, nem nesse mundo vou querer estar.
Essa terça-feira vai ficar marcada pra mim como o dia em que eu não conferi o troco.
Finalizo esse post dizendo que é preciso confiar nas pessoas, caso contrário, nosso mundo não terá mais sentido, afinal, ninguém quer viver apenas com desconfianças.

3 comentários:

blog@dos humoristic disse...

Gostei muito desse negócio do sábio aí do lado. Muito interessante.

http://pontoecruzbordado.blogspot.com

Garota Mania disse...

bem de boa mais que concordo com suas palavras, confiança é a base de tudo pra mim pelo menos pra mim. passando por aqui http://virersemlimites.blogspot.com.br/

reinaldo del trejo disse...

Obrigado pelo carinho, voltem sempre...