sábado, 28 de abril de 2012

O presente que desenha nosso futuro

Muitas vezes, acabamos pensando tanto no futuro, enfatizamos uma vida feliz, prospera, algo que nos faria bem...
Vivemos tanto no futuro, e o que fazemos para desenharmos isso? Nada, não é mesmo.
Conversava com um amigo meu, e ele me disse a seguinte frase : “Pensamos tanto no futuro que acabamos esquecendo que é o nosso presente que desenha o mesmo...”, parei no tempo e comecei a refletir.
De vez em quando, me pego cismando com a vida, e vagamente eu quero fazer algo para mudar a minha “dura realidade”.
Sabe, quando você sonha em estar feliz com uma pessoa, mas mal se da o trabalho de fazer essa pessoa se sentir bem, ou pior que isso, em um mundo paralelo, você está feliz com ela, mas no que você vive, nada passa de ilusão, e você sequer tem coragem de extrair esses sentimentos totalmente para fora.
Estou cansado de estar delimitado em promessas, não sou santo para fazer promessa, e mais que isso, não sou desumano para propor algo que eu não tenha certeza.
Pensando assim, só posso dizer que o que eu quero para a vida é único e somente o presente, estou cansado de pensar no amanhã e não fazer o hoje valer a pena.
Você já deve ter ouvido esse trecho que é praxe de qualquer twitteiro de meia tigela :”Não deixe para amanhã, o que você pode fazer hoje”.
Frase mais comum do mundo, certamente você deve estar pensando, só que é uma das coisas mais sábias que já ouvi.
Ontem, estava sentado com um amigo meu na saída da faculdade, e passou por nós uma menina linda, confesso que nunca tinha visto tal beleza nesses meus poucos anos de vida, ela se sentou cerca de três metros de nós, ela estava tão perto que era possível ouvir sua respiração ofegante, talvez por uma gripe, sendo que os dias atuais estão frios, até essa madrugada, que acordei há algumas horas, e passo a digitar enrolado em um cobertor.
Meu amigo começou a falar em voz baixa o quão linda era essa menina, e eu também achei, poxa, ela era simplesmente “perfeita”, só que o que ele fez? Na verdade nada, apenas massageou o ego daquela linda garota.
Pensando assim, se ele tivesse se levantado e ido falar com aquela mulher, e dentro dessa realidade, tivesse ocorrido um grande entrelace entre ambos, e sucessivamente, quem sabe, ele tivessem formado um belo casal e poderiam até descrever a palavra amor...Ora, porque não?!
Só que ele não fez nada, e mais esse trecho de sua vida foi guardado em uma possível felicidade não consumida.
Durante nossos dias, perdemos muitas oportunidades que poderiam ter mudado nossas vidas, sou um grande errante nesse sentido. Simplesmente, já deixei de fazer muitas coisas que poderiam ter mudado meu rumo e até porque não, minha escrita, e acabei construindo uma muralha de lamentações, que me deixam no mínimo deprimido.
A pergunta que fica no ar, é, pra que nos prendemos em nossas vidas e deixamos de fazer o que nos dá na telha?
Acho que a resposta deve ser medo, medo de se expor, medo de errar, ou medo de simplesmente tentar. Tão ingênuo é o ser humano, pra que medo, sendo que a única coisa que devemos temer é a morte, porque não sabemos o que acontece do outro lado.
Pensando assim, cheguei a uma conclusão, e espero que você também tenha chegado meu adorado leitor... Não tenha medo de tentar, de expor os seus verdadeiros sentimentos, exponha, grite ao mundo, mostre o verdadeiro brilho no olhar...
Não tenha medo de errar, porque o medo de errar, simplesmente tira a vontade de tentar.
Imagine um caçador, você acha se ele não tivesse atirado, ele teria levado aquele apetitoso pato para sua casa? Com certeza não, pensando assim, não importe quantos tiros você dê no ar, um dia, você acerta, e toda vez que errar, levante a cabeça e continue, porque a vida é curta demais para ficarmos presos em lamentações.
Pense nisso, ou melhor, viva isso

2 comentários:

B. disse...

Sim, esse texto foi feito pra mim. O constante medo de errar, me faz ficar parada no tempo, faz com que a minha vida seja a mesma rotina de sempre. Sou fraca nesse ponto, mesmo.
Acho que tem toda a razão e eu adorei muito suas palavras e a forma como as colocou de modo simples, contudo, objetiva.
Sou futurista há um tempo e até admito isso. Mas nesses últimos meses, venho tentando mudar isso, e aos poucos, eu vejo que o tempo perdido não volta mais e que as oportunidades passadas, talvez sejam o motivo de eu me sentir assim hoje.

Ricardo Macagnan disse...

Estava lenda sua postagem, que me fez lembrar de um trecho de uma músic da banda "legião Urbana" que dizia: "O Brasil é o país do futuro". Realmente, não só no âmbito pessoal mas também na sociedade vemos este tipo de pensamento: "no futuro vai ser assim, assado..." e nos esquecemos de que o futuro é traçado agora através de nossas atitudes e decisões. Medo de errar? Quem nunca sentiu isso? Mas, se serve de consolo, só o tempo e a mente aberta trazem a sabedoria e o julgamento necessário para "errarmos cada vez menos". Parar de errar? Impossível... Perderia a graça da vida. Boa semana a todos!