quarta-feira, 25 de abril de 2012

Eterno Billy

Devia ser umas oito horas da manhã, fui até um canto próximo a garagem onde costumava ficar meu cachorro, um dogue alemão misturado com Fila, preto, dos olhos amarelos, era lindo, era, porque naquele dia, ele foi para um lugar melhor.
Seu nome era Billy, nome esse que foi cravado em um dos melhores amigos que eu já tive.
Lembro como se fosse hoje o dia em que meu irmão trouxe esse cachorro em casa, fiquei feliz pra caramba, deveria ter entorno de seis ou sete anos, desde sempre, o Billy era extremamente brincalhão e companheiro.
O tempo foi passando, e quando menos vi, ele já tinha passado por vários momentos da minha vida, era como um irmão para mim.
Sempre que passava por algo importante ou constrangedor em minha vida, voltava para casa, lá estava ele me aguardando, com uma felicidade radiante...
Foi assim depois do meu primeiro beijo, depois do meu primeiro dia no ensino fundamental, as diversas fraturas que tive na vida, decepções amorosas, primeiro dia na facul e tal, sempre o meu amigo estava me aguardando.
Mas hoje foi diferente, cheguei da faculdade, e não tive a recepção do meu amigo, não tive contato com ele, não vi aqueles olhos dourados pedindo apenas um carinho, não vi... E já sinto falta.
Poderia escrever um excelente post, mas não estou muito bem para falar sobre isso, só queria deixar na lembrança esse meu cachorro, que ficará pra sempre marcado em minha vida.
Dizem que todos os cachorros merecem o céu, tenho certeza disso.
Porque se Deus realmente existir, ele não deixaria um ser amável como ele ficar na escuridão eterna, porque animais são simplesmente puros, puros de alma e de coração.

2 comentários:

Fabulosa Fabuladora disse...

triste...

mas como diz a "filosofia": na vida tudo é passageiro, menos o motorista e o cobrador

Eu tenho uma cadela e não posso ficar com ela, porque ela não era minha (eu nunca pude ter bichos) eu a encontrei machucada, tratei, deixei ela em alguns lugares errados até encontrar a ONG atual. Só que, como não tenho condições de ficar com ela por vários motivos, ela vai ficando lá e eu com o coração apertado de saudade. Não tenho tido tempo nem dinheiro de sequer visitá-la.

Garota Mania disse...

é eu sei como é isso eu tive um pastor alemão que me acompanhou dos meu primeiro ano até os meus 13 anos de idade ele fez parte de toda a minha infância e inicio de adolescência e sinto muita falta do meu companheiro. passando por aqui bjs bjs.