segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

30 dias sem Redes Sociais


Bom gente, ontem eu entrei no banheiro e levei comigo uma revista da Super antiga, e comecei a ler uma reportagem que falava da cafeína sendo ela uma droga aceita pela sociedade.
Tudo bem, comecei a ler, e vi que a cafeína é sim um tipo de droga aceita e tal, droga essa que eu uso muito (muito mesmo), as vezes eu não consigo dormir direito, durmo no máximo umas 5 horas diárias.
Nos últimos tempos, não estou tão dedicado ao blog, podem ver que minhas escritas estão tão sentimentais, que esqueço totalmente de analisar as putarias da sociedade, e esse sim é o tema principal do meu blog.
Hoje estou de cabeça fresca, e estou bom o suficiente para criticar isso.
Ai ai, desde que entrei em contato com o mundo das redes sociais, lá para meados de 2006, confesso que nunca mais parei de usar isso. E olhem só, estou viciado em Facebook, Msn, Orkut (antes de morrer ), Twitter e até no blog, só que o blog é um caso a parte, já que é muito bacana poder expressar o que estou sentindo e pensando, e analisar os pensamentos alheios, por isso, considero o blog um bom aliado para entender o ser humano.
O fato é, que é notável que comecei falando do café como uma droga aceita pela sociedade, e esse vício é usado para nos mantermos mais tempo acordados, porque a cada dia que passa, consideramos os nossos dias cada vez mais curtos.
Pode ser que seja que estamos ficando muito atarefados e tal, mas será que é só isso mesmo?
Vou dizer o que eu realmente acho, acho que no fim, estamos viciados nessas redes, em que parecemos construir uma imagem a ser vista pela sociedade, e esquecemos um pouco do que realmente somos, e acabamos usando a cafeína como aliados para isso.
Usando o Facebook como exemplo, é notável que a maioria das pessoas fazem uso dele com o intuito de que as outras pessoas o achem bacana.
Como exemplo, me responda qual o por quê de alguém ficar divulgando uma piada idiota que ele já riu?
É complicado o comportamento humano em querer ser alguém popular para as outras pessoas, é como se tudo o que realmente importasse, fosse o que os outros querem que você seja.
Fica uma pergunta no ar, o que será que realmente pensamos? Por que queremos tanto ser populares diante dos olhos das pessoas? (Nesse caso, eu generalizo, já que também faço isso, e tenho absoluta certeza que você leitor faz a mesma coisa).
Em sociologia, estudamos que o ser humano é um bicho sociável, ou seja, que precisa da aprovação das outras pessoas para que esse mesmo ser se sinta bem.
Esses somos nós, temos que ser aceitos em um ambiente para que nos sintamos bem, porque de alguma forma queremos ser aceitos, porque não vivemos somente para nós.
Só que existe um pequeno problema em redes sociais, é que muitas vezes esquecemos de viver nossas vidas, e fazemos tudo em pró do que existe no mundo On Line.
Ou vá me dizer que você já não deixou de fazer algo porque estava no computador?
Com certeza sua resposta é sim, assim como a minha também é, só que existe uma pergunta, será que isso é bom?
Acredito que não, porque muitas vezes criamos uma outra pessoa dentro do nosso próprio ser, hum, beleza, vou me usar como exemplo.
Quando eu era mais novo, uns 4, 5 anos atrás, conheci uma menina no Orkut e tal, conversava muito com ela, eu adorava ela.
Até que um dia, ela foi estudar na minha escola, e eu não consegui falar absolutamente nada para ela, (AEE TAPADO) e acontece que mesmo gostando bastante dela, de alguma forma o meu eu ficou com medo de não ser o que a menina esperava de mim.
Vá me dizer que você nunca passou por uma decepção On Line, sabe quando você marca um encontro e tal, e vê que a pessoa não consegue se expressar da mesma forma que faz diante das telas do computador.
Acontece, eu sei que acontece, só que consegui superar esse meu Tilt Digital, e agora consigo falar normalmente com as pessoas tanto pessoalmente quanto seilá, digitalmente, mas digo, demorou muito para isso acontecer.
O que quero dizer com tudo isso é que nossa vida é muito maior que um simples computador, tudo acontece do lado de fora, é claro que temos amizades que só acontecem pelo mundo das redes sociais, o que não pode acontecer é nos prender totalmente a esse meio.
Fato esse que vem gerando um desconforto muito grande, e até problemas psicológicos graves.
Vamos viver mais, e deixar a internet um pouco de lado. O que acham disso??
E aliás, o nome do título é esse, porque a partir de agora eu começo um projeto chamado de “30 dias sem Redes Sociais”, que tem como intuito fazer com que um viciado em MSN como eu, fique um mês inteirinho sem acessar MSN, FACEBOOK, TWITTER e ORKUT.
O Objetivo é mostrar que é possível largar nossos vícios, e é mais possível ainda mostrar que a vida é muito maior que uma tela de um computador.
A cada dia vou falando como está sendo a minha experiência, e é claro desabafar, porque vai ser FODA ficar tanto tempo sem ver minhas atualizações. Mas vou mostrar que é possível, e quem sabe tocar o seu intelecto para que você leitor, faça a mesma coisa.

3 comentários:

B. disse...

Concordo quando diz que o ser humano é alguém sociável,que precisa de amigos, família e enfim. Não é à toa, que quem não tem essas conquistas, torna-se amargurado. Pois bem, acho que agora eu entendo o porquê de as vezes me chamarem de 'anti-social'. Sim, eu conheci minha melhor amiga, por uma rede social. E a partir da entrada dela na minha vida, eu comecei a ser outra pessoa ali. Eu comecei a viciar e entrar sempre. Mas o meu verdadeiro motivo, é ela e enfim. Sou diferente atrás da tela de um computador. A minha timidez some e eu converso normalmente com as pessoas, o que não acontece pessoalmente. Tanto que fiz um blog, pra poder expressar minhas ideias, já que me calo diante dos que estão perto de mim. Por isso, eu digo, ninguém conhece a 'Biia' totalmente. Sempre temos algo novo pra mostrar, algo oculto que está dentro de nós. E talvez a internet ajude nessa 'disseminação'. Só não quero estar lá pra chamar a atenção e ser popular. Mas inconscientemente nós o fazemos. Talvez seja melhor sumir mesmo. Eu já fiz isso e me senti bem, pq superar os meus vícios. Mas sempre volto, afinal a internet acaba sendo essencial em nossa vida.
Entendo que tenha que 'partir' e te apoio, é bom, vc vive intensamente, sem preocupações e com a cabeça fria. Isso vai te trazer novos ares e novos pensamentos.

reinaldo del trejo disse...

Sim, o ser humano é um bicho totalmente com o intuito de socializar, só que infelizmente está acontecendo um fenômeno muito estranho com as pessoas, que é a falta do autoconhecimento.
Muitas pessoas dizem conhecer várias e várias pessoas, mas afinal, será que conhecem realmente?
Creio que não.
Porque a maioria das pessoas não conseguem respirar o ar que está em seu entorno, fato esse que acarreta em uma série de fatores.
Como eu posso querer conhecer uma pessoa sendo que nem eu mesmo me conheço?
É ao menos irônico.
Mas é isso que ta acontecendo.
Não sou diferente da grande massa, porque eu confesso que estou me estranhando muitas vezes.
Na Verdade, nesses dias estou me conhecendo um pouco melhor, mas é complicado decifrar tudo o que eu realmente sinto.
Tenho medo de estar equivocado, mas no fim não estou, porque parece que tem algo fazendo com que eu faça as mais diversas mudanças no meu eu.
E estou gostando disso.
Afinal, creio estar evoluindo 

reinaldo del trejo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.