sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Me maltrate, disse o Livro


Estava jogado na instante, em um lugar sombrio e sem expressão, para mim, o mundo era apenas essa instante empoeirada, nada parecia existir, além dessa estrutura de madeira, o meu mundo era esse, coloquei era, pois mudou, mudou desde o momento em que meu dono me observou, observou e resolveu me tirar desta maldita instante.
Logo de momento, o garoto de cerca de 15 anos me jogou em cima de sua cama, e começou a me folhear, parecia um louco alucinado em busca de conhecimento, mais do que isso, parecia um drogado em busca de erva.
Antes de continuar a história, tenho que me apresentar, eu sou Alex, um livro de romance, e estou contando a minha vida.
Retornando, desde que o Caio me tirou da instante, minha vida mudou e muito, agora minha vida tem significado, meu ego está massageado, voltei a viver, pois agora, sou utilizado, sou usurpado, e adoro isso, adoro isso mais do que ficar encostado em uma instante sem nenhum fim útil.
Agora o Caio me joga em sua cama, me maltrata, me deixa em sua bolsa, me folheia, parece que ele me adora e muito. Nos últimos dias eu estava ficando triste, pelo fato de meu dono estar chegando em meus últimos capítulos, eu pensei que agora eu fosse ser jogado novamente para a escuridão da indiferença, só que por acaso escutei uma conversa do inestimável Caio, ele já planeja me emprestar para a Aline, ela quer muito saber o que seu amigo vê em mim.
Esses dias minha capa caiu, algumas folhas foram amassadas, e o Caio não é muito cuidadoso, pois já derrubou até leite em mim, mas sabe de uma coisa?! Eu adoro isso, sendo que quando sou maltratado, sou adorado, e dessa forma, me maltrate meu dono, não me deixe encostado, gosto de ser usado, gosto de passar conhecimento, lembre-se, é para isso que existo, para passar informação, cultura, para ser usado, maltratado...

Nenhum comentário: