domingo, 10 de julho de 2011

Vocé é quem desenha os seus limites



Hoje me bateu um sentimento extremamente estranho, pois passei a pensar como o ser humano é limitado. Sendo que a partir do fracasso alheio, o mesmo se acha superior e bate a porta o sentimento de sucesso. Mas espera ai, então estamos nos desenhando aos limites dos outros?
Que pensamento mais estúpido, usando como exemplo, se fizermos uma prova e de certa forma no momento acharmos que fomos despreparados para a mesma, mas depois que o resultado vem a tona, percebemos que fomos melhor que a maioria, dessa forma mesmo em nosso inconsciente nos achamos superiores e estabelecemos uma sensação de acomodação.
Defino esse sentimento como a coisa mais repugnante em nós, porque nos consideramos superiores pelo limite do próximo e não de nossa capacidade, e assim parece que tudo está em seus conformes, mesmo no começo tendo a sensação que fracasso. Esse sentimento é definido pelo limite alheio.
O limite da pessoa ao lado não pode estabelecer a sua linha de sucesso, pois nosso limite não pode ficar amarrado como o do resto do mundo, cada pessoa é única e somos de certa forma, individualistas em nossos objetivos.
Outro fator que mostra essa apegação em relação aos semelhantes ou pessoas do convívio, é o fato de quando um familiar fez algo marcante, nos sentimos obrigados a fazer um feito da mesma intensidade, ou nos sentimos inferiores.
Onde quero chegar é que cada um é um ser diferente, ninguém tem as mesmas ambições e desejos, pois cada ser desenha o seu destino de forma diferente, e colocando a vida como um grande quadro, os nossos atos e ideais seriam o lápis, e cabe a você calibrar esse desenho e fazer os traços que achar ideal para ti.
Ou seja, a vida é sua, ninguém pode influenciar os seus traços de vida, o mundo pode ser limitado, mas quem delimita o seu caminho é apenas você.

Nenhum comentário: