sábado, 12 de março de 2011

DECLÍNIO BRASILEIRO




Honra e lealdade sempre foram requisitos super importantes para o meio comum, foram , infelizmente não são mais. Quanto mais tempo se passa, parece que o Brasil está mais longe do estado ideal de “honra populacional”.
O povo brasileiro mudou totalmente a maneira de levar a vida, em vez de tentarem crescer como pessoas e cidadãos, estão entrando em um caminho sem volta para o declínio e aos poucos vão entrando em um buraco sem fim.
A desonra ficou em tamanha evidência que parece que a falta de caráter virou um ponto positivo à população, a “desgraça brasileira” chegou a tal ponto que daqui a determinado tempo a falta de escrúpulo vai ser algo providencial para ser considerado uma pessoa digamos “cidadão de valor” como fosse requisitado a ser um anarquista e inimigo incondicional da ex-supremacia “cavalheira”.
O governo que deveria ser um instituição totalmente competente e responsável, está em total desordem e sem nada sendo feita da maneira que lhe convém, o que deveria ser uma referência a população, vem sendo um espelho de falta de vergonha na cara que incrivelmente o povo adora e o venera, pois faz exatamente como é feito no estado “maior”.
Mas ainda não é o fim, esse quadro ridículo pode ser revertido, terá que ser feito um trabalho árduo, mas com uma resposta incrível . As pessoas direitas nunca podem abaixar a cabeça para essas pessoas desonrosas, a escória, o lixo, a supremacia ridícula que está tomando nosso país .Pois inacreditavelmente essas mesmas pessoas mesmo conseguindo incomodar tanto o desenvolvimento de uma nação são pessoas de pouca capacidade intelectual que sendo atropeladas por idéias de humanos de boa fé , se encabulam totalmente e não conseguem se igualar as pessoas honrosas pois ainda o que prevalece é o valor de cada pessoa , ainda são os direitos morais que prevalecem, incrivelmente nesse mundo de desonestidade e incapacidade humana.

Reinaldo Del Trejo (01/03/2011)

quinta-feira, 10 de março de 2011

A Arte de ser só



Vivemos em um mundo tão hipócrita e sombrio que as vezes fica quase impossível de alguém dizer que consegue desafiar os desafios sem ninguém lhe apoiando, eu disse quase, eu nunca pensei em concretizar uma idéia, ser só pode parecer algo assustador de começo, e fica a pergunta, como é possível enfrentar essa selva de babáries levando em conta o único consolo sendo o próprio ombro.

A arte de ser só, pelo título parece algo grandioso, mas não. É apenas a arte que algumas pessoas buscam para encarar a vida, sem nenhum apego a outro ser carnal, sem objetivos parecidos para lhe encostar na parede nebulosa da indiferença. Parece complicado tentar expor uma opinião que julga a solidão um bem, ou seria um hábito que as pessoas tendem a encarar sendo a única resposta do rebaixamento sofrido as mesmas.

Perguntas sobre perguntas chegam a trazer um anseio de explosão de dúvidas, o que está tentando ser expresso nessas palavras tão descontentes e confusas? A resposta para encarar os desafios é a parte mais excitante de nossas vidas, ser só.

A partir do momento que a única pessoa que lhe interrompe é a você mesmo, a dúvida de quem sou começa a ser desvendada. Um grande mal que é a solidão passa despercebido quando a pessoa consegue exercitar a sua alma, assustando a sua ansiedade com palavras complicadas que só você a entende. Ser só. Como é bom poder desvendar os próprios segredos, e só para depois tentar entender o outro alguém para compartilhar algo maior que a arte de ser só, depois sobe-se o nível agora terá que encarar a arte de amar um outro alguém. Difícil, mas um gosto inestimável deve ser encontrar um e desvendar os segredos junto com esse alguém. Agora o título apropriado seria “A Arte de conhecer o outro”?